Archive for maio, 2009

Caridade que faz diferença

quinta-feira, maio 14th, 2009

 

Caridade

 

 
Quanto custa fazer alguém feliz?

Será que com R$1,00 eu faço alguém feliz? Ou eu preciso de algo mais para fazer alguém feliz?

Ou será que a felicidade não há como ser comprada com dinheiro?

Eu tenho algumas gratas experiências que me fizeram muito feliz e que, certamente, deixaram algumas pessoas felizes.

A verdadeira caridade parte de dentro pra fora (e nunca inverso). Nasce da vontade de não ver o sofrimento alheio e termina em alguma atitude neste sentido.

Sempre precisamos ver alguma cena comovente para nos condicinarmos (mesmo que por alguns instantes apenas) a fazer alguma coisa positiva em prol daquele que sofre. As enchentes no sul do Brasil fizeram muitos fazerem doações daquilo que não usavam mais. Mas e aqueles que moram bem pertinho e que passam por necessidades semelhantes (ou até piores)?

Avalie-se e responda (para si mesmo) quando foi a última vez que visitou um viaduto para perguntar como vai a vida de quem mora por ali? Quando foi a última vez que ofereceu a mão para ajudar a levantar alguém que caiu na rua? Quando foi a última vez que pagou um lanche para aquele que te pediu um pedacinho do seu enquanto estava comendo?

É… Eu sei… São perguntas difíceis de serem respondidas… Não se assuste se a resposta para todas elas for um “não sei” ou “nunca fiz nada disso”. É o comum que vemos hoje em dia no nosso mundo.

Felizmente existem pessoas que pensam diferente e destoam do comum agindo como verdadeiros Cristãos em meio a um mundo tão turbulento.

Fiquei feliz hoje quando uma grande amiga me contou uma experiência que teve com uma senhora que precisava de dinheiro para ir a um hospital levar a filha para um atendimento. Ela agiu com amor ajudando aquela senhora sem pensar se ela realmente precisava ou sequer se estava dizendo a verdade. Ajudou sem olhar. Fechou os olhos para as aparências e para as convenções sociais. O exemplo dela é contagiante. Me fez lembrar que já faz um certo tempo que não deixo uma cesta básica no carro para alguém que precisa.

Falando em cesta básica, vocês sabem o preço de uma nos supermercados? É algo em torno de R$35,00. Vou fazer (como já fiz no meu passado não distante) o hábito de manter uma cesta no carro para oferecer a quem precise. Tocou o coração, levou a cesta de presente. R$35,00 não é praticamente nada e pode ajudar alguém a matar a fome. Não vai resolver o problema mas vai ajudar.

Sabe o que eu peço em troca? Que a pessoa faça o mesmo por alguém que esteja precisando. Se não puder doar nada material, faça uma prece com o coração aberto, pois estará ajudando do mesmo jeito.

Se você não tem como oferecer algo material, ou tem resistência nesta questão, faça algo que não custa um centavo sequer. Vá a um abrigo (ou creche, ou orfanato) fazer uma visita. Mas não vá apenas uma vez. Faça um hábito semanal. Algo do tipo: Todos os sábados eu vou visitar durante uma hora. Converse com as crianças. Com certeza na primeira semana você não vai conseguir falar com quase nenhuma. Mas com pouco tempo elas estarão penduradas em você brincando (criança é sempre espontânea). Não precisa conversar sobre a vida delas (é sempre triste), mas sobre qualquer assunto. Descontrair mesmo. Não vai custar nada e eu tenho certeza absoluta que você vai sair de lá muito melhor que entrou (por experiência própria, pois já fiz isto durante alguns anos).

 

Economia no Telefone

quarta-feira, maio 13th, 2009

 

 

 

Já fiz muita propaganda negativa de produtos e/ou empresas ruins.

Mas quando encontro uma que presta um bom serviço eu faço questão de divulgar, pois se eu fui beneficiado pelo bom serviço prestado acredito que outras pessoas também podem ser.

Bem. O papo é telefonia.

Os preços são sempre de amargar. A telefonia brasileira é bem cara.

Mas, seus problemas acabaram!!!! rsrsrs

Estou usando um serviço de VOIP. VOIP, para quem não sabe, é uma forma de telefonia via internet. A empresa é a Just Voip. Uma empresa alemã que faz um serviço de primeira qualidade a um preço bem barato.

Eu fiz um crédito de 10 euros. O que dá em torno de R$30,00 (trinta reais). Por ter feito este crédito eu ganho 300 minutos por semana (durante quatro meses) para falar com qualquer telefone fixo do Brasil inteiro e em mais de 100 países. Vamos recapitular? Durante quatro meses eu posso falar com qualquer telefone fixo no Brasil inteiro gratuitamente (desde que seja até 300 minutos por semana). Após estes quatro meses as ligações irão debitar do meu crédito. Mas aí é só fazer outro crédito de 10 euros e volta tudo como era antes.

Para falar com celulares do Brasil inteiro o custo é de 13 centavos de euro (o que dá em torno de R$0,47) por minuto. Este preço é muito menor que muito plano de celular que vemos por aí.

Em princípio é necessário apenas ter um computador, uma conexão de internet e um cartão de crédito internacional (que é a única forma de pagar pelos créditos).

Existe um programa que é parecido com o MSN, onde gravamos os contatos com seus respectivos telefones. E por este programa é que podemos discar e conversar. Funciona como se fosse um Skype. Só que a qualidade da ligação é excepcional.

Ok. Como se não bastasse ainda tem mais.

Podemos conversar usando o nosso telefone fixo. Neste programa há uma opção de colocar um telefone de origem e um telefone de destino. O Just Voip liga para o telefone de origem e quando este atende ele liga para o telefone de destino, colocando ambos em conferência. Para usar esta facilidade o serviço é pago. Custa 5 centavos de euro (cerca de R$0,15) e se os dois telefones forem telefones fixos a ligação é gratuita, pagando apenas o custo do serviço de conferência. Mais uma vez a qualidade é fora do comum. É como se a ligação tivesse sido feita a partir do telefone fixo mesmo!

Portanto, está aí uma excelente indicação para quem quer economizar (e muito) na conta telefônica.

Detalhe importante: Isto não é propaganda. Não estou ganhando nada em divulgar isto!

 

Acelerado

segunda-feira, maio 11th, 2009

 

The Flash

 

Onde é que está o freio??? Alguém, por favor, me mostra que vou puxar o freio de mão com toda minha força!!!

As pessoas acham que o mundo acontece a mil milhas por hora e nada é bem assim.

Não aguento mais ouvir as palavras “contrato”, “orçamento”, “agenda” e “prazo”.

Minha vida, ultimamente, está baseada nestas quatro palavras e isto está enchendo minha paciência…

 
Outro dia estava numa empresa que o programa que fiz gerou um valor 50% abaixo do normal num dos meses. Eles viraram uns leões no meu pé dizendo que o meu programa estava errado. Eu fui pela lógica: O mesmo programa gera valores corretos para os meses de janeiro, fevereiro e março. Por que o mesmo programa ia gerar valores errados APENAS para o mês de abril??? Deixa eu decifrar isto para que todos entendam como funciona:
 
Imaginem uma receita de bolo (ou de pudim de leite condensado, rsrs). Imaginem que todo mês vocês sigam a receita certinho (sem esquecer os ovos ou qualquer outro ingrediente) e todo mês a receita produz o mesmo resultado. Num determinado mês alguma coisa dá errado. A culpa é da receita ou do cozinheiro?
 
Pois é… Foi exatamente isto que aconteceu. Esqueceram um monte de coisa para ser contabilizada e aí os valores ficaram realmente baixos.

Outra coisa que está me deixando de cabelo em pé (os poucos que ainda restam na minha cabeça) é o fato de que as pessoas estão esquecendo que o dia tem APENAS 24 horas. E que destas 24 horas, 8 delas eu durmo (ou deveria dormir), 2 eu reservo para almoço, outras 2 para deslocamento e 2 horas para descanso. Vamos fazer as contas? 8 + 2 + 2 + 2 = 14. Restam 10 horas. Eu amo a matemática! Tão certinha!!! Mas tem gente que contesta esta conta e querem mudar os valores, mas a mudança que querem fazer normalmente não fecham com as 24 horas do dia!

Quando eu conseguir frear este movimento frenético que está acontecendo eu aviso!

 

Mãe

domingo, maio 10th, 2009

 

Mãe

 

Chega a ser curioso um homem falar (ou pelo menos tentar) sobre maternidade. Mas como filho eu posso falar sim. Não sei o que é ser mãe, mas sei o que é ser filho.

Mãe não é aquela que coloca no mundo. Colocar uma vida no mundo todos os animais fazem isto. Mãe é aquela que abraça quando todos repulsam. É aquela que acarinha quando todos querem apedrejar. É aquela que protege quando todos querem fazer mal. É aquela que se coloca no lugar ao invés de acusar levianamente.

Para ser mãe não basta ser mulher. Tem que amar (e muito).

Vejo muitas mulheres que apenas se prestam para dar vida a outro ser. O que (na minha opinião) estão abaixo dos animais irracionais, pois estes protegem a sua cria com a própria vida se preciso for.

Vejo mulheres que fogem do compromisso materno alegando que precisam viver a vida. Como se o filho que colocaram no mundo não merecesse o mesmo.

Mas não vejo só isso não (ufa). Vejo também MÃES verdadeiras. Aquelas que são capazes das maiores crueldades para proteger seu(s) filho(s). É claro que não sou a favor de nenhuma crueldade sob nenhuma razão, mas o que me chama a atenção é a disposição destas MÃES de enfrentar o mundo para algo que beneficia seus filhos.

Vejo a MÃE que ensina. Então além de amorosa faz mais do que a maioria, pois mostra que para viver não basta amar. Não basta ter MÃE. Vejo a MÃE que embala o filho já adulto reconhecendo nele uma pessoa carente de afeto e cuidado. Vejo a MÃE que traduz o olhar do filho sem precisar de palavras ou qualquer emissão de som.

Eu costumo ver muito mais do que isto, muito mais do que a simples aparência (moldar aparências é muito fácil e engana a maioria das pessoas). Vejo pessoas que (embora não pareça) trazem a vocação da maternidade como que de berço. São aquelas pessoas que mesmo não tendo filhos sou capaz de dizer: Esta nasceu para ser MÃE!

A minha mensagem de hoje é em homenagem às MÃES e um alerta para as mães. Para a MÃE toda a minha emoção de filho e para as mães a recomendação básica: Amem seus filhos!

Enfim, aqui!

quinta-feira, maio 7th, 2009

Sinceramente eu achei que nunca fosse fazer algo similar a isto, mas fiz!

Já havia tentado fazer um blog com o WordPress, mas não tinha tudo o que eu queria. Faltava recursos… Mas agora não… Aqui eu tenho possibilidades que não tenho em muito lugar.

Bem, nasce neste momento o meu site! Aqui mais vai parecer um blog mesmo. Vou postar aqui experiências pessoais, profissionais e etc. Vou fazer daqui um lugar de desabafo ao mesmo tempo que de descontração. Espero poder colocar aqui a forma como estou vivendo e trabalhando (profissional e voluntariamente). Minhas felicidades, minhas infelicidades, minhas indignações, etc.

Enfim, o pontapé inicial foi dado! Agora é prosseguir com o “jogo”…

 

Abraços,
Marcelo