Archive for abril, 2010

Ainda Há Esperança

quinta-feira, abril 29th, 2010
passos.jpg
Sempre existem esperanças quando queremos e nos propomos a alguma coisa interessante.
 
Por pior que nos pareçam as coisas é importante visualizar como as coisas (que nos parecem ruins) aconteceram tentando levantar os motivos para traçar metas de vida.
 
Nada é tão ruim que não tenha uma solução e nada pode nos tirar a esperança de felicidade.
 
Quando tudo lhe parecer perdido, diga para si mesmo e para quem possa interessar, suas reais intenções para com o mundo e para com a vida. Tenho certeza que isto faz muito bem (digo por experiência própria).
 
Já passei por muita coisa nesta vida (e sei que tenho muito para viver). Posso dizer com extrema segurança: Nada está perdido! Absolutamente nada!
 
Tenho certeza que quando nos encontrarmos perdidos e lembrarmos desta frase arranjaremos uma solução.
 
É sempre bom lembrar que as soluções mais eficazes são as mais simples e as mais objetivas. A simplicidade e a objetividade sempre me convenceram!
 

Oportunidades Perdidas

sábado, abril 24th, 2010
coracao_na_mao.jpg
Acho que de tanto observar a mim mesmo e aos outros eu acabo aprendendo alguma coisa…
 
A vida nos proporciona muitas oportunidades para sermos felizes. Infelizmente nós deixamos passar a maioria destas oportunidades e depois vivemos reclamando que somos infelizes. Mas nunca lembramos que tivemos oportunidades e que escolhemos deixá-las de lado para um momento futuro.
 
Só que a vida não espera. Ela passa. Anda, ou melhor, voa!
 
Uma oportunidade perdida é sinal que nunca mais volta (pelo menos do mesmo jeito que perdemos, não).
 
Vi, recentemente uma pessoa recusar uma proposta de emprego por causa de um capricho. Algo que poderia ser facilmente contornado. Mas, perdeu! Vai ter outras oportunidades? Espero que sim! Mas o fato é que aquela não volta mais. Pode até conseguir outro melhor, mas aquele emprego não vai ter. Da mesma forma vejo pessoas decidindo (com total consciência do que estão fazendo) por um caminho que leva para longe de sua felicidade.
 
E, numa situação destas, eu faço o que? Apenas observo! Quando me presto a dar alguma opinião meço muito bem as palavras e falo alguma coisa que pode ajudar. Mas nunca influencio para decidir pela pessoa. Afinal de contas não é da minha vida que estamos tratando.
 
Sei que não é agradável perder oportunidades. Quando a chance passa e reconhecemos que perdemos vem a tristeza e o arrependimento por não ter feito o que deveria ou por termos agido erroneamente em momentos decisivos. Mas outras oportunidades virão. Não serão iguais à que passou, mas virão. Não podemos nos preocupar com o que já passou, mas com o que estamos fazendo para não perder novas oportunidades.
 
Não espere que o outro faça acontecer, faça você! Nada do que fizermos irá reverter uma oportunidade perdida, mas podemos trabalhar positivamente para que tenhamos outras chances de fazer aquilo que deveríamos ter feito no passado. O que importa é o presente e o futuro, pois o passado, este já passou!
 
Então: VAMOS!!! ACORDE!!! FAÇA O QUE TEM DE SER FEITO ANTES QUE MAIS UMA OPORTUNIDADE SE PERCA!
 

Perdido

quinta-feira, abril 22nd, 2010
labirinto.jpg
Estar perdido significa não ter para onde ir e se arriscar onde não se deve. Estar perdido significa dar valor a coisas fúteis embora existam outras que são bem mais importantes e estão logo a frente. Estar perdido é entrar por um caminho que não nos levará a lugar algum enquanto o verdadeiro caminho está na direção oposta.
 
Para escrever tudo isto eu fico me imaginando numa floresta densa. Muita árvore e muito mato.
 
E já que tem muita árvore e muito mato existem também muitos perigos. Muita coisa se esconde nas árvores e matos para se aproveitar de nossa pouca cautela.
 
Bem, os perigos existem de uma forma ou de outra, mas é muito pior se não soubermos para onde ir. É muito pior se estivermos simplesmente vagando sem rumo.
 
Muito legal. Já criei toda a ambientação. E agora vamos partir para o mundo real?
 
Quando muitas coisas acontecem ao mesmo tempo é comum ficarmos perdidos sem saber o que fazer e, não raro, metendo os pés pelas mãos. Aí podemos nos dar como vencidos porque os problemas com certeza irão nos engolir.
 
A primeira coisa a fazer é não desesperar. Todo problema tem solução. Tem jeito pra tudo. Pode ser que a solução não seja muito confortável (estou sendo generoso ao usar a palavra "confortável", eu sei…), mas a solução existe!
 
Agora é o momento de ordenar as coisas. Resolver tudo ao mesmo tempo eu não vou conseguir (não sou dotado de super poderes, pelo menos ainda não). Então tenho de ordenar os problemas para resolver um por um. O critério que eu vou usar para ordenar os problemas eu não sei dizer pois isto muda de acordo com várias situações. Mas o importante é ordenar com a finalidade de resolver um a um ao invés de tentar resolver tudo ao mesmo tempo.
 
Ordenou? Ótimo! Agora vamos passar para as soluções.
 
Problema número um. Tem solução? Sim! Depende de outras pessoas? Se depender, então devemos fazer até onde nos é possível. Quando parar (para esperar a ação de outras pessoas) deixe em "stand-by" para prosseguir na sua lista. Se não depender de outras pessoas, melhor ainda. Proceda com a solução e assim que estiver solucionado (ou que não mais depender de você), deixe de lado e passe para o próximo.
 
Se algum problema não tiver solução, ESQUEÇA-O! Não é problema. É FATO!!! Ao fato só nos cabe aceitar e não tentar resolver.
 
Lembre-se sempre que a vida não espera ninguém. A vida sempre age. Não deixe a vida agir de forma a te fazer sofrer para agir. Aja antes da vida te forçar a isto.
 

Mensagem Subliminar

quarta-feira, abril 21st, 2010
subliminar.jpg
 
 
Lembro que faz muito tempo que ouvi dizer algo sobre isto. Mas a pessoa que me informou sabia só um pouquinho a mais do que eu, portanto, não foi capaz de me dar grandes explicações.
 
Um outro dia, bem mais tarde, eu vi várias pessoas dizendo que o mundo estava cheio de mensagens subliminares. Aí é que eu não entendi mais nada. Como assim?
 
Como é que algo que tem uma conotação subjetiva pode ser provada como sendo a intenção de alguém para convencer outras pessoas de alguma coisa?
 
Intencional ou não, o fato é que as mensagens subliminares existem. Não sabemos até que ponto podemos nos prejudicar realmente com isto (não existe nenhum estudo a respeito).
 
Vamos imaginar, hipoteticamente, que sejamos capazes de identificar uma mensagem destas que nos incentive a comprar determinado produto em detrimento a outros. Iremos acatar a ordem simplesmente porque vimos?
 
Aí podemos entender que a mensagem subliminar tem de ficar oculta mesmo. Assim a mensagem entra na cabeça de um indivíduo como se fosse uma idéia própria. E nós damos importância para as nossas idéias.
 
Nestas mensagens podemos imaginar que estão indicações de um determinado produto ou mesmo uma palavra de ordem para alguma coisa.
 
Imaginações sobram neste momento. Podemos começar a listar vários produtos, várias propagandas e várias situações onde alguém (mais esperto que nós, com certeza) colocou ali uma mensagem subliminar.
 
As vezes vejo várias especulações sobre grandes empresas. Pessoas dizendo que tais empresas só conseguiram chegar onde estão devido ao uso destes recursos. Na minha opinião é mera especulação. A mensagem subliminar, por melhor que seja, não faz milagres.
 
E é pensando que realmente não temos milagres que posso afirmar que nenhuma empresa conquistou a liderança de mercado com propaganda subliminar.
 
Ultimamente tenho visto alguns produtos mais simpático que outros (e sem explicação). Já procurei alguma coisa que pudesse explicar esta simpatia mas nada encontrei. Fico pensando comigo: Estou sendo vítima de uma mensagem subliminar?
 
Ter simpatia por este ou aquele produto, ou uma determinada marca, não significa que a empresa partiu para o uso de uma mensagem subliminar.
 
Evidentemente estas mensagens existem e as pessoas de marketing sabe muito bem disso, pois são elas quem as fazem.
 
Ao mesmo tempo eu não tenho como separar (ou até mesmo reconhecer) os produtos que possuem a tal mensagme ou não.
 
Mas é aí que entra a minha lógica aliada ao meu senso de praticidade: Não vou me preocupar com isto!
 
O melhor a fazer é viver de bem com a vida sem se importar se há um jogo de marketing por trás do produto que adquiriu. Seja feliz é bem melhor!
 


Sofrer Pode Ser Bom

quinta-feira, abril 15th, 2010
sofrimento_dor.jpg 

É incrível como temos aumento substancial de nossas capacidades em momentos extremos.
 
Sempre que alguma coisa ruim acontece temos um aumento na nossa capacidade criativa (como que se ganhássemos um pacote adicional de idéias). E nisso conseguimos criar, fazer e acontecer.
 
É claro que isto é relativo, pois situações ruins aliadas ao desespero só fazem agravar aquilo que já está complicado. Mas não é sobre isto que estou dizendo.
 
O que me refiro são as situações ruins, porém equilibradas, que nos colocam pra pensar. E normalmente estes pensamentos fazem com que no fim das contas tenhamos um ganho em algum ponto.
 
Vou dar exemplos. Os artistas produzem mais e melhor quando passam por dores e sofrimentos. Existem grandes músicas e grandes poesias criadas em momentos complicados (morte de alguém querido, término de um relacionamento, etc).
 
É esta "veia artística" que me refiro. É este processo de criação que normalmente temos acesso numa situação complicada. A situação complicada funciona como um catalisador que nos coloca num estado tal em que é passamos a usar a imaginação. Aquelas pessoas que materializam estas imaginações tidas nestes momentos são chamadas de artistas. Mas os artistas mesmo são aquelas que tem a capacidade de gerar este estado sem precisar do sofrimento.
 
Eu não escapo disto. Sou um verdadeiro artista quando sofro. Raramente materializo minha arte, mas sempre as tenho. Meus pensamentos sempre alçam vôos mais altos quando passo por algo complicado. E estes vôos sempre (sempre mesmo) me ensinam alguma coisa.
 
Então sempre vou considerar o sofrimento como uma mola propulsora em minha vida. Sempre vou considerar a dor como uma forma de aprender um pouco mais e nunca vou ter medo de sofrer assim como nunca vou me punir por erros cometidos (estou aprendendo, um dia chego lá).
 

Idas e Vindas

domingo, abril 11th, 2010
idas_vindas.jpg 

Muitas vezes eu me pego pensando no quanto a vida nos proporciona em termos de idas e vindas (em todos os sentidos).
 
O sentido que mais me chama atenção é o dos relacionamentos interpessoais. Não é uma reclamação, mas uma reflexão a respeito.
 
Sempre me vi sozinho no mundo. Qualidade ou defeito é assim que eu sou e é assim que me sinto. Mas pensando bem, nos momentos mais complicados da vida não existe ninguém para fazer as coisas por nós. Nós é que fazemos o "trabalho sujo". Depois de tudo feito até encontramos quem nos apoie e nos ajude. Mas nunca no momento crucial. Não reclamo disto também, pois se alguém fizesse isto por mim este alguém teria o mérito ou o demérito de tudo que me acontece.
 
O que eu observo (algumas vezes aliviado e outras vezes nem tanto) é que as pessoas aparecem em nossa vida com determinado objetivo e terminado este objetivo desaparecem como que por encanto. E ai de nós se nos apegarmos a estas pessoas… É sofrimento na certa.
 
Não pensem que estou aqui dizendo que não devemos nos apegar a ninguém. Não é nada disso. Só não devemos vincular nossa felicidade a quem quer que seja. Mas não deixa de ser curioso como pessoas que são tão agradáveis de conviver simplesmente dão as costas (ou nós lhe damos as costas) e cada um vai para o seu caminho…
 
A solidão que me referi logo no início não quer dizer que estamos (ou devemos) viver isolados e repulsivos a qualquer relacionamento. Muito pelo contrário. Devemos ser abertos a toda e qualquer interação visando o nosso bem e o bem dos outros também. Já imaginaram se todos resolvessem se isolar?
 
Não me assusto com separações (naturais ou não). Tenho certeza que elas ocorrerão cedo ou tarde. O que me importa é viver intensamente o momento, pois caso contrário posso arrepender depois por não ter me permitido aprender um pouco mais ou (por que não?) por não ter tido momentos felizes. O fato de não me assustar com separações não me coloca numa situação de me acostumar com elas. Vou sempre achar estranho cada pessoa que entra e (mais estranho ainda) cada pessoa que sai da minha vida.
 
Todas as pessoas agradáveis que saíram da minha vida tem um lugar cativo em minhas lembranças. A maioria delas fizeram por merecer o seu lugar de destaque. Há outras que mantenho na lembrança pelo que aprendi, embora a convivência (ou experiência) não tenha sido agradável.
 
Mas não me importo com nada disso (não mais). Só sei que não quero sofrer e sei que não estou frio com quem me trata com frieza. Estou, como poderia dizer, normal. Ainda que seja o meu normal!
 

Perdas

segunda-feira, abril 5th, 2010
 perdas.jpg

Agir corretamente é o que sempre buscamos.
 
Muitos dizem (e com muita propriedade) que agir corretamente acarreta perdas. Sou forçado a concordar! Acarreta sim…
 
Quando agimos de forma correta temos de fazer esforços para abrir mão de coisas (ou de pessoas) que gostamos.
 
É como se estivéssemos segurando algo ou alguém de forma desequilibrada e aí vem a conscientização que nos faz abrir as mãos dando a liberdade necessária para que fiquemos com aquilo que realmente precisamos ou merecemos. Sem contar que damos liberdade às pessoas de escolherem se ficam ou não ao nosso lado e, se ficarem, como vão ficar.
 
Afinal de contas esta é a liberdade que queremos para nós mesmos. Então, por que não oferecê-la a todos?
 
Confesso que passei a ser mais feliz quando comecei a pensar desta forma, embora tenha sofrido por não ter as pessoas ao meu lado do jeito que eu queria que estivessem. Mas, se estas pessoas não ficaram do meu lado do jeito que eu imaginei que fossem ficar é porque não era pra ser assim. E se não era pra ser assim, melhor que tomem um rumo novo antes que haja qualquer tipo de envolvimento.
 
Eu chamo isto de respeito! Respeito, principalmente, à vontade alheia!
 
O que fazer quando isto acontece? Simples! Fazer como a ilustração acima: Seguir adiante equilibrando para não cair. A vida continua tão intensa quanto sempre! E devemos sempre nos preocupar conosco mesmo para que não fiquemos vulneráveis aos problemas comuns. Como eu disse: A vida continua!