Archive for fevereiro, 2011

Reciclagem

quinta-feira, fevereiro 10th, 2011
reciclagem.jpg

É um assunto em moda nos últimos tempos… Falar de reciclagem de materiais (lixo ou não) é praticamente um CTRL-C e CTRL-V de tantos lugares que falam muito bem sobre o assunto.
 
Mas e a reciclagem íntima? Ainda não vi ninguém falando. Então eu falo!
 
Primeiro o embasamento. Do que se trata a reciclagem? É a "arte" de aproveitar (ou tornar úteis) coisas que iriam para o lixo. E como podemos fazer isto no campo íntimo? Aí entra a nossa imaginação trabalhando a nosso favor…
 
Sou daqueles que acreditam que todas as atitudes são aproveitáveis (umas mais, outras menos). De tudo podemos tirar alguma coisa boa, alguma lição. Podemos sempre aprender e podemos sempre praticar.
 
Erros acontecem pra todo lado, mas eles são (nada mais e nada menos que) novas experiências e aprendizados. Não há como negar que (infelizmente) aprendemos muito mais errando do que acertando. É aquela frase que sempre digo: Eu não conheço o caminho certo, sei quais são os errados e com base nesta informação vou fazer tentativas. Se estas tentativas resultarem em novos erros eu terei crescido (ou atingido um patamar superior), pois é uma informação a mais que terei.
 
Nesta busca pelo acerto existem inúmeros métodos. Qual é o melhor método? É uma pergunta complicada de ser respondida, porque os métodos são feitos sob medida para cada um. O meu método pode não servir para mais ninguém assim como o método dos outros não me serve. Cabe a mim estabelecer o melhor método que eu possa ter para que hava um melhor desempenho e um melhor resultado.
 
Sou contra métodos que exigem sofrimento para conseguir alguma coisa. Isto é sinal que não haverá resultado positivo. Falo isto com imensa certeza por já ter adotado inúmeros métodos similares. O melhor é não sofrer. Não precisamos sofrer para melhorar, precisamos esforçar.
 
O mal que eu fazia ontem me serve de exemplo vivo hoje para que eu não só não faça novamente como para amparar vítimas deste mal praticado por outras pessoas.
 
Antigamente eu tentava modificações radicais e que sempre resultaram em mudanças insustentáveis. Hoje minhas mudanças são todas dentro dos meus limites e sempre previamente calculadas para não me fazer sofrer. Se eu sofrer significa que tem alguma coisa errada.
 
Para uma boa reciclagem existem alguns elementos essenciais:
– Observação: Quem não é observador não sabe o que deve mudar e como deve mudar. Um bom observador deve usar o silêncio acima de tudo. Observar significa que deve prestar atenção nas pessoas e principalmente em si mesmo. Significa que precisa pensar antes de falar. Significa que devemos saber do que estamos falando. Significa não deixar para raciocinar sobre o que falamos na hora (ou depois) que as palavras saem.
– Seriedade: Nada de ser irresponsável com você mesmo ou com os outros. Há sempre aqueles que dizem que não devemos levar a vida tão a sério. Concordo plenamente com isto, mas devemos (acima de tudo) saber delinear os limites da seriedade. Poderia até dizer que a vida é uma tela em branco, temos em mãos dois baldes de tinta: Um azul e outro amarelo. Devemos sempre buscar o verde homogêneo… (para quem não sabe: o verde obtém-se da mistura do azul com amarelo). Dosar a seriedade e a descontração é a chave e não saberemos fazer isto se não "observarmos" atentamente onde estamos vivendo.
– Seleção: Convenhamos, há coisas que não dá mesmo para reciclar… Aí é jogar no lixo mesmo. Então não podemos perder tempo em tentar reciclar algo que sabemos que não tem proveito algum. Esta seleção é feita pela constante "observação".
– Atitude: Agir corretamente no momento certo. Só saberemos qual são as atitudes corretas e o momento correto "observando".
 
Como podemos ver, nada conseguiremos agindo impulsivamente e impensadamente. Observar é a chave de tudo…
 
Após tudo isto já será possível para qualquer um reciclar algumas coisas (meio) chatas como:
– Tristezas
– Amarguras
– Inimizades
– Indiferenças
– Intolerâncias
– Impaciências
 
Lembrando que reciclar não é jogar fora, mas transformar… Podemos transformar tudo isto que citei acima em coisas boas, basta tentar!
 

Gentilezas

quarta-feira, fevereiro 9th, 2011
gentileza.jpg

Outro dia estava ouvindo um amigo falando de gentilezas e isto me deixou pensativo. Ele fez uma pergunta a todos que o estavam ouvindo mas esta pergunta mexeu comigo e me gerou outras:
– Quantas vezes você disse um simples "obrigado" hoje?
 
Na mesma hora o meu dia passou na frente de meus olhos e pude constatar que não tinha dito esta palavrinha mágica o dia todo. Nada de anormal, poderia até dizer, mas se não fosse o fato de eu ter visto também os momentos onde eu poderia ter dito e preferi me calar.
 
Numa conta rápida eu identifiquei oito momentos onde eu bem que podia ter agradecido por um favor recebido (mesmo que este favor seja parte das obrigações profissionais de alguém) mas não disse. Foi o porteiro que gentilmente abriu a porta para mim, o acessorista do elevador que gentilmente me levou onde eu queria, o garoto que me ajudou a estacionar o carro numa vaga apertada, o gari que esperou que eu passasse para continuar varrendo a rua (levantando uma grande nuvem de poeira), aquela pessoa que não conheço (e nunca vou conhecer) que freou o carro para que eu pudesse entrar na sua frente, o meu vizinho que percebendo que eu estava saindo de meu apartamento não fechou a porta do meu bloco para que eu não tivesse o trabalho de abri-la, o pedestre que esperou que eu saísse da minha garagem, quando na verdade era eu quem deveria esperar… Por aí vai! Tudo isto num mesmo dia!
 
Sabem uma coisa interessante nas gentilezas? É o que elas provocam nos outros. Vou tirar por mim. Quando alguém me agradece por uma coisa mínima que faço me dá ânimo para continuar fazendo. Aí me veio o arrependimento: Eu bem poderia ter agradecido a todas aquelas pessoas e ter contribuído para que elas tivessem um dia melhor.
 
Mas não fiz. Então bola pra frente. Me propus a mudar e fazer diferente. Confesso que me senti bem agradecendo a coisas básicas e observando a reação das pessoas.
 
Existem outras atitudes gentis que não custam nada: "Com licença", "me desculpe", "por favor", etc. Parece que estou lembrando dos tempos de criança quando aprendemos as "palavrinhas mágicas". Esta é uma comparação muito acertada. Palavras mágicas abrem portas. Uma boa educação faz exatamente a mesma coisa.
 
Experimentem também. Um bom começo é o "obrigado". Agradeça a tudo e a todos, mesmo que o que lhe foi feito era nada mais que a obrigação de quem fazia.
 

Orkutcídio

domingo, fevereiro 6th, 2011
 okt.jpg

 

 
Desde o fim de 2010 venho pensando sobre a minha participação no Orkut. Percebi que minha participação tem sido muito mecânica e forçada.
 
Há muito tempo não tenho tido paciência para responder mensagens, dar explicações, aprovar novos amigos ou mesmo pedir para ser aprovado em gente que nunca vi na vida…
 
Não dá para não pensar nisto…
 
A decisão está tomada há um certo tempo e vou colocar em prática de forma lenta, não vai ser nada radical. Não vou excluir minha conta pois se fizer isto tudo o que escrevi nos mais de cinco anos de existência irá se perder. Eu acredito que tenha escrito muita coisa interesante que tenha ajudado a muita gente (é pretensão minha, eu sei, mas acredito nisto).
 
Pensando nisto tomei a decisão de colocar em prática uma decisão tomada algum tempo atrás.
 
Vou excluir todas as minhas informações pessoais, todas as minhas fotos, sair de todas (ou da maioria) as comunidades e excluir boa parte dos amigos. Vou também modificar meu nome para algo que não indique quem eu sou. Não vou excluir totalmente minha conta, mas vou desativá-la e descaracterizá-la. A foto do perfil também será retirada talvez eu deixe uma imagem de algum personagem de desenho animado ou de algum super-herói (homem aranha? rsrsrs).
 
Não espero ser compreendido por todos nesta decisão (nunca agradei a todos e não vai ser agora que isto vai acontecer), mas espero ser respeitado (disto eu faço questão).