Archive for julho, 2011

Eu Confio

quarta-feira, julho 20th, 2011
 eu_confio.jpg

Normalmente nós podemos contar nos dedos (de uma só mão) as pessoas em quem confiamos. Infelizmente é um número muito baixo de pessoas nesta posição.
 
A confiança é algo que não se admite meio termo. Ou ela existe ou não existe. Não é possível dizer que confia mais ou menos em alguém. Ou confiamos ou não confiamos. É (e tem de ser) bem simples.
 
Não há nada pior que uma confiança perdida porque é algo que nunca volta. É algo que jamais voltará a ser o que era antes. O processo de perda da confiança desintegra laços importantes e cruciais. Estes laços não se refazem (nem adianta tentar).
 
Mas engana-se quem pensa que trair a confiança está restrito a apenas divulgar um fato (segredo) confiado. A perda da confiança traduz-se no sentimento de não poder mais contar com a pessoa. O "eu não confio mais" é sinônimo do "desprezo" e o desprezo, por sua vez, é sempre uma via de mão dupla. Jamais há um caso de desprezo gratuito, é sempre motivado por alguma coisa.
 
O que eu quero com tudo isto? Simples! Tento fazer uma campanha (para mim) para sempre consolidar e alimentar a confiança que as pessoas têm em mim. Com isto eu adoto alguns procedimentos simples e que não doem nada fazer:
– Importância. Todo mundo é importante (apesar de ninguém ser imprescindível). Então valorizo todo mundo. Mostro a elas que a opinião delas é importante. Mostro também que elas também podem ser importantes na minha vida.
– Desprezo. Esta palavra deve ser riscada do nosso dicionário. Ninguém deve ser desprezado (por mais desprezível que seja). Devemos sempre deixar a opção do desprezo para os outros e nunca nos utilizar disto em nossa vida (mesmo que tenhamos sido desprezados).
– Sensibilidade. Devemos sempre ser sensíveis aos problemas alheios. Um espinho no dedo mindinho de alguém é (para esta pessoa) o maior problema do mundo. Falas como "isto não é nada" ou "isto é um problema muito pequeno" devem ser abolidas pois a pessoa está sofrendo. Não precisamos sofrer com elas, mas precisamos ser sensíveis aos problemas que estão vivendo.
– Atenção. Nunca falte com a atenção ao problema dos outros. Sempre responda, sempre opine, sempre sugira, sempre ampare. Se não tem nada a falar mostre que ouviu e entendeu tudo o que foi falado explicando que não sabe o que dizer. Isto é muito mais acolhedor do que o silêncio que caracteriza o avesso de tudo o que foi exposto acima.
 
Como é que podemos estimular as pessoas confiarem em nós se não damos importância a elas, se desprezamos quem tem problema, se somos sempre insensíveis ao sofrimento alheio e se não damos atenção quando nos falam alguma coisa?
 
Basta a falha num dos ítens acima para que haja um grande abalo na confiança. Falhe novamente no mesmo ítem ou em outros para consolidar a perda da confiança.
 
Normalmente só confiamos em quem não merece quando não existem alternativas. Mas basta aparecer outra pessoa que demonstre ser digna de nossa confiança para (literalmente) esquecer de quem não merece.
 
A pergunta que fica é: Como eu gostaria de ser tratado por alguém em quem eu confio?
 

O Abraço

segunda-feira, julho 11th, 2011
 abraco.jpg

Muitas vezes é desvalorizado, mas pouca gente parou para pensar no que ele representa.
 
É muito melhor que um beijo e a meioria das pessoas colocam o beijo num patamar superior. Até entendo o motivo, é que o beijo representa um contato mais íntimo portanto quanto mais íntimo for o contato maior o grau de comprometimento entre as pessoas.
 
Mas não é disso que estou me referindo. Me refiro à troca de energias, de calor humano, de carinho. O abraço ganha disparado!
 
Querem uma descrição? Acho que sou bom nisso… rsrs…
 
Duas pessoas que se gostam se olham, o coração dispara, a respiração modifica. O corpo ganha forças. É inevitável um sorriso que expressa felicidade. As duas pessoas se aproximam, os braços se abrem como se mostrasse a confiança que se tem no outro. Os corpos se unem, corações se tocam, os braços que antes estavam abertos se fecham envolvendo a pessoa. É um sinal de proteção misturado com o desejo de ocuparem o mesmo lugar no espaço. Os olhos se fecham para que nenhuma visão prejudique o que estamos sentindo. Não ouvimos nada que acontece. Não sentimos fome, frio ou calor. Ou seja, desligamos todos os sentidos e nos concentramos no contato que estamos tendo.
 
Vale lembrar que um longo abraço dura menos de um minuto…
 
Durante um abraço em alguém que amamos o sentimento aumenta. O que antes era bom torna-se melhor. A pessoa passa a ter uma importância maior. O contato nos faz esquecer qualquer defeito. A sensação de amparo é incrivelmente boa.
 
Outro dia vi um vídeo onde pessoas saíram nas ruas com cartazes: "Abraços Grátis". E saíram abraçando a todo mundo que viam… Como eu gostaria de estar na pele de um deles! Imagino o quanto cada um que segurava estes cartazes ficou feliz. Imagino como devem ter chegado em casa…
 
A transmissão de boas energias durante um simples abraço é incrível.
 
Tente… Abrace alguém… Observe cada segundo do abraço que deram… Observe as reações de seu organismo antes, durante e depois do abraço. Com toda certeza você ira ficar surpreso…
 

A Lua

terça-feira, julho 5th, 2011
lua.jpg 

Alguém já parou para admirar a Lua? Parece coisa boba, não é? Mas é justamente por parecer bobo é que ninguém faz isto…
 
Faça! Mas não é apenas olhar por olhar, é admirar! Ficar parado um tempo olhando… Sei que seria demais se eu pedisse que você deitasse no chão pra ficar mais tempo admirando ela, então não peço (apesar disto ser o ideal na minha opinião).
 
Ultimamente tenho admirado a Lua. Tenho olhado com muita atenção, definindo contornos, detalhes, luminosidade, etc. Tenho visto muita coisa interessante e que jamais imaginei que existiam antes. Um mundo novo se descortina diante de meus olhos. Observem a Lua também, com pouco tempo irão ver a beleza escondida que ela tem. Não que ela não seja bela na primeira vista, mas é muito mais do que aparenta ser.
 
A Lua era antes algo inatingível para mim. Longe de minhas mãos e de meu contato. Hoje eu vejo diferente. Vejo ela perto, ao meu alcance (e nem pensem que fumei algum cigarrinho do capeta, rsrs). O que antes para mim era apenas um astro, hoje é uma companheira.
 
Qual o meu objetivo com tudo isto? Mostrar que a maioria das coisas que consideramos inatingíveis não são. Podemos alcançar tudo o que quisermos, basta uma mudança de ponto de vista e alguma atitude interna. Uma outra coisa importante é a valorização de coisas simples. A Lua é algo simples e que está disponível a muito tempo. Porém, poucos a vêem (embora enxerguem).
 
Eu gostaria que todos vissem a Lua como eu vejo, mas olhem para outra Lua porque esta já é minha e vou casar com ela! rsrsrsrs… (meu lado ciumento falando… rsrsrs). Mais do que isto, eu gostaria que todos vissem as coisas simples como importantes…
 

Sofrer ou Não Sofrer, Eis a Questão!

terça-feira, julho 5th, 2011
ser_ou_naoser.jpg 

Sofrer ou não sofrer, eis a questão!
 
É difícil falar de sofrimento porque a minha razão me remete a uma coisa mas o sentimento a outra completamente diferente.
 
Vamos dar ouvidos a razão porque ela sempre me tira dos buracos em que me enfio.
 
O sofrimento só é ruim quando é feito conosco mesmos. Ou seja, só é ruim quando nos martirizamos por alguma coisa. De resto o sofrimento é útil e válido.
 
É curioso quando eu falo disto porque fica parecendo que entro em contradição. Eu digo que não devemos evitar o sofrimento porque o ato de evitar sofrimento gera sofrimento. Sendo assim, sofremos dobrado. Ao mesmo tempo devemos lutar em prol de nossa felicidade. Aprendi a muito tempo que não devemos lutar contra nada mas a favor de tudo. Eu não vou lutar contra o sofrimento, mas vou lutar a favor da (minha) felicidade. Muitos dizem que isto não muda nada, mas eu acho que muda tudo. A minha motivação não é a derrubada de alguma coisa mas a ascenção de outra.
 
Quando nos acontece algo desagradável devemos buscar a solução. A solução pode ser imediatamente empregada? Então empregue. A solução necessita de um tempo para ser empregada? Então espere o momento oportuno. Não tem solução? Então relaxe e curta a paisagem!
 
Como a razão é linda!!! Mas vai colocar isto em prática pra ver…
 
É justamente aí que devemos acreditar naquilo que pensamos. Porque falar apenas é bem simples… A prática não pode se deixar envolver com o sentimento. É só assim que iremos moldar o sentimento que encontra-se desequilibrado (só sofremos porque a parte sentimental fica abalada). Assim como ninguém entrega a direção de um carro para alguém alienado, não devemos entregar a condução de nossa vida para o sentimento quando o mesmo encontra-se desequilibrado. É tão lógico isto…
 
Vamos colocar em prática?
 
Mais simples ainda… Regrinhas básicas:
– Não evitar o sofrimento. Viva e assimile o sofrimento. É melhor destampar o reservatório onde ele está armazenado do que retirar todo o conteúdo com um contagotas.
– Lutar em favor da felicidade. Não agir contra ela.
– Não tomar decisões importantes enquanto houver problemas ou estiver de "cabeça quente".
 
Viva. Prefira sempre a vida. Prefira sempre a felicidade. Opte por não lutar contra si mesmo.