Ponto de Vista

ponto_de_vista.jpg

É incrível a nossa capacidade de enxergar e enfatizar coisas ruins.
 
Observem o quanto é grande esta nossa capacidade e ficarão (como eu fiquei) supreendidos.
 
Os nossos comentários sobre qualquer coisa ou qualquer pessoa sempre terminam com alguma coisa ruim (estava muito bom, exceto…). É interessante observarmos isto porque se sempre estamos esperando alguma coisa ruim acontecer ficamos na posição receptiva (o que não é nada bom).
 
Já ouvi um absurdo neste assunto:
– Hoje acordei tão bem que estou até preocupado de alguma coisa ruim acontecer!
 
Onde está a nossa capacidade de viver o bom momento sem deixar que nada interfira???
 
Ficamos surpresos com alguma coisa boa que acontece e sempre estamos esperando alguma coisa ruim acontecer. Mas sabem o que me chama atenção? Os bons momentos são em maior número e em maior quantidade. Não tenho medo de errar ao dizer que a maioria esmagadora de nossos momentos são classificados como bons (ou alegres) e a minoria absoluta é que podemos dizer que são ruins. Curiosamente esta minoria absoluta se torna gigantesca perante nossos olhos.
 
Será que o correto é realmente observar as coisas ruins?
 
Não me aguentei e perguntei isto a uma outra pessoa. Fui prontamente respondido com:
– Devemos nos alegrar com coisas boas e nos preparar para as ruins.
 
Fiz questão de não argumentar, mas é curiosa esta preparação. Eu digo que sofremos muito mais preparando para algo ruim do que o fato propriamente dito.
 
No fundo é a nossa visão que deve ser modificada pois enxergamos a pequena parcela do mal em meio a tanta coisa boa.
 
Façam o teste (eu fiz!). Antes de dormir tentem enumerar os acontecimentos do dia e classificá-los como bons e ruins (nada de "meio termo", ou é bom ou é ruim). Sem conhecer a vida de ninguém que lê este texto posso afirmar que:
– Irá esquecer alguma coisa classificada como boa
– Irá lembrar primeiramente das coisas ruins
 
É só eu ou alguém mais vê uma necessidade de mudança urgente no nosso comportamento perante a vida?
 

Comentários estão fechados.