Sentimento pra que te quero?

sentimento_razao.jpg
Cada um possui características que lhe é peculiar. Isto nos diferencia um dos outros. Não há como querer que um seja igual o outro porque além de ser impossível é falta de respeito.
 
As informações e posicionamentos que divulgo aqui servem unicamente a mim mesmo. Não ignoro o fato de que podem servir para alguém que esteja passando pelo mesmo problema mas é interessante notar que o caminho percorrido por mim para atingir determinadas situação só aconteceu para mim (e só aconteceu uma vez).
 
Bem. Desde criança fui muito racional. Um mais um sempre foi igual a dois e nem queiram me provar o contrário. Fui feliz assim. Deixei de passar por sofrimentos que vi muita gente passando e posso dizer que foi agradável me ver livre de determinadas situações numa tomada simples de decisão. Se não quero é só não querer e pronto.
 
De uns tempos pra cá resolvi experimentar o outro lado. Me deixei levar por uma onda sentimental. Gostei das sensações. Me senti leve como nunca havia sentido (mesmo pesando 85 quilos, rsrs). Mas tudo tem suas consequências. Experimentei coisas que não gostaria de ter experimentado. Não digo que não foram úteis, muito pelo contrário. Me senti vivo de uma forma que nunca havia me sentido. Senti a sensação de ser importante. Senti a força de um fogo modificador que arrasa tudo o que vê pela frente (isto dentro de mim com relação a minha forma de encarar o mundo). Senti tristezas que jamais imaginei que existissem. Senti um gosto amargo na boca que jamais terei como comparar para tentar explicar como é. Senti o peito como que perfurado por uma fina lâmina que não mata de pronto. Senti dores que me deixaram questionando minha vida e como eu lido com ela. Senti saudades de minha racionalidade…
 
Parei de brincar. Estou de volta ao meu lado racional. Mas volto diferente. Volto carregando uma bagagem imensa que adquiri com este meu "estágio" no sentimento. Volto a ser eu mesmo, o Marcelo de sempre. Modificado pela vida.
 
Com certeza muita coisa não mudou. A minha forma de encarar os problemas dos outros é uma delas. Jamais dei as costas para ninguém que estivesse passando por qualquer dificuldade e isto não farei jamais. O meu lado fraterno sempre esteve ativo (antes e depois deste ligeiro estágio).
 
O que mudou foi que eu decidi não mais sofrer por nada. Sofrimento é algo que nos pega pelo sentimento e atualmente este está sob a guarda da razão (que não sofre). Já senti melhoras e mudanças radicais desde o momento que me decidi por isto. Não vejo possibilidade de sentir nada de negativo que senti durante o tempo deste meu estágio.
 
Não dá para negar o que eu sou. Não dá para deixar de lado a minha racionalidade e adotar uma postura que me faz sentir menor. Isto (definitivamente) não é para mim.
 
Com certeza há quem discorde disto tudo que eu escrevi. Há, inclusive, pessoas que podem me criticar. Mas garanto que não existe ninguém que possa avaliar com precisão tudo o que se passa comigo e tudo o que eu vivi.
 
Como eu disse antes. Fórmula de um dificilmente serve para o outro. Mas esta é a minha forma pessoal de encarar isto… Certa ou errada é a minha (decidida pela razão).
 

Comentários estão fechados.