Intolerância Religiosa

 

Intolerância

 

Há quem diga que religião, esporte e política são assuntos indiscutíveis.

Isto é porque nestes assuntos cada um tem a sua própria opinião e mesmo quando as preferências são as mesmas ainda podem existir (e normalmente existem) nuances que diferenciam os pontos de vista.

Até aí não vejo problema nenhum. O problema começa quando alguém quer convencer o outro que a sua opinião é a correta e as outras são as erradas.

Infelizmente vejo isto com muita frequência nos assuntos religiosos.

A diversidade de opiniões gerou milhares de religiões espalhadas pelo mundo. Mas para efeito de didático vamos a um exemplo prático.

A partir do Catolicismo surgiu o Protestantismo através de Martinho Lutero. Então, fora do Catolicismo, havia uma religião Protestante. A partir desta religião inúmeras outras surgiram e todas elas a partir de diferenças de pontos de vista.

Não estou aqui com a menor intenção de descaracterizar nenhuma religião. Todas elas tem o meu mais profundo respeito.

Vejo com um intenso pesar as manifestações (que eu chamo de ridículas) que visam apenas denegrir a crença dos outros pois isto é uma falta de respeito muito grande.

As vezes vivo esta falta de respeito por ser Espírita. E esta falta de respeito vem de todos os lados (religiosos e ateus). Os profitentes de outras religiões acreditam que eu estou perdido e os ateus acreditam que sou idiota. Alguns outros me olham com medo, como se eu fosse capaz de (ou tivesse poder para) fazer algum mal só no olhar.

Vi, alguns dias atrás, uma pessoa que se diz religiosa dizendo que os Católicos, Espíritas e outras religiões que não fosse a dele estão condenadas ao fogo do inferno. O que dizer nesta situação? NADA! Isto mesmo. Não há nada para dizer a quem não quer fazer o mínimo que é respeitar a crença dos outros. Deixei que ele falasse o quanto quis e não me atrevi a entrar nesta discussão (na verdade eu peguei meu fone de ouvido e coloquei música num volume considerável, rsrs).

Eu entendo e respeito o ponto de vista de pessoas iguais a esta. O lado bom de atitudes como esta é ver que ao menos este tem uma religião para seguir (e eu torço para que ele a siga em sua totalidade) enquanto muitos outros sem religião cometem os mais infelizes desatinos. Na maioria dos casos a religião ainda é um enorme freio para os erros humanos. O religioso normalmente pensa em algo a mais antes de cometer um grande erro. E é exatamente nisto que reside o lado bom de tudo isto.

Levanto a bandeira da não disputa, principalmente dentro do meio religioso.

O nosso objetivo é sermos melhores como seres humanos. E para isto existem muitos métodos. Eu escolhi o método espírita. Outras pessoas escolheram o método católico, outras o método protestante dentre tantos outros métodos existentes. No fim das contas seremos melhores se seguirmos o método que escolhemos. Se a partir disto começarmos a disputar qual o melhor método não vai sobrar tempo para praticar o método que escolhemos…

 

18 Respostas to “Intolerância Religiosa”

  1. Por Jumar Adorno Says:

    O problema é Intolerância religiosa ou Ignorância?

    Muito se tem comentando sobre a Intolerância religiosa aí um monte de idiotas aproveitando este ensejo vão para a democrática internet (porque é o único lugar que talvez eles tenha coragem de se expressar) e falam um monte de baboseiras afim de ofender aqueles que escolheram seguir uma religião que propõe (ou impõe) regras (ou princípios) menos convencionais, ou seja, aqueles que querem viver na contramão do liberalismo (ou libertinagem) que a “escola do brasil” (Rede Glo…) tem ensinado. Acho que antes de qualquer coisa estas pessoas deveriam saber o que é intolerância religiosa. A primeira prova da falta de conhecimento é que a maioria das pessoas se referem à intolerância religiosa como se fosse algo que denomina uma ação dos protestante contra qualquer outra religião; como se os protestantes estivessem de um lado e o “resto do mundo” do outro. Quando na verdade o tema se refere à intolerância de modo geral (de qualquer religião para qualquer religião). Outra prova da ignorância de muitos que discorrem sobre o tema em questão é que eles estão falando da intolerância religiosa e ao mesmo tempo cometendo-a no momento que chama “a” de queima feijão e “b” de mercenário (Isso serve, inclusive, para a mídia que é quem mais comete a intolerância religiosa especialmente com os protestante e com os muçulmanos). Se nossa população tivesse mais conhecimento não teria apenas como referência o que a mídia mostra e sim o que realmente é. Por exemplo, quantas vezes a mídia comentou sobre as humilhações que um protestante passa quando é minoria nas milhares de comunidades católicas, e de seguimentos de origem africana espalhadas pelo Brasil? A mídia se aproveita da ignorância da população para usá-la a favor daquilo que eles querem. Você acha que “eles” estão mesmo preocupado com a questão da intolerância? E porque “eles” levam as pessoas a pensarem que a intolerância só ocorrem em uma direção? Pergunte a um adventista quantas vezes ele foi ridicularizado por “guardar” o sábado ou a um jovem assembleano quantas vezes foi tido como idiota por defender o sexo só depois do casamento. No entanto eu nunca vi ninguém partir em defesa destes, como se isso não fosse uma intolerância religiosa. Podemos acabar com a intolerância religiosa, mas isso só acontecerá quando as pessoas souberem o significado da palavra respeito, porque é só respeitando uns aos outros que poderemos superar as barreiras impostas pelo preconceito. Cada um precisa fazer sua parte, não é chamando um padre de promíscuo ou um pastor de ladrão que eu vou diminuir as supostas barreiras impostas por ele à minha religião. Devo respeitá-los independente das atitudes deles a meu respeito. Nunca devemos pagar o mal com o mal e este é o princípio para todo ser humano que se preze. O cachorro morde porque esta é a natureza dele, acaso você morderia um cachorro como vingança? Lamento muito pela falta de conhecimento da grande parte da população.

  2. Marcelo Says:

    Infelizmente a sociedade (embutida nos formadores de opiniões) forma um estereótipo do ser perfeito e tudo o que for diferente disto é vítima de preconceito.

    Só que este conceito vem descendo até chegar a nós, que idealizamos o que é o correto e desprezamos o que for diferente daquilo que chamamos de correto.

    Quem está certo? Ninguém e todos ao mesmo tempo. Ninguém porque ninguém tem o direito de julgar os outros, suas crenças e suas preferências. Todos porque todos nós agimos com pelo menos “um pingo” de boa fé ao criticarmos os outros (principalmente na religião) que é a intenção de proporcionar ao outro o bem que estamos sentindo (ignorando que todos somos pessoas diferentes e que temos gostos diferentes).

    No fim das contas vale para os outros aquilo que queremos para nós: [b]Respeito às nossas opiniões![/b]

  3. larissa Says:

    afffs’s

  4. Ronaldo Andrade Says:

    Nao existe intolerancia mas sim ignorancia. Isso pq muitas vezes criticam uma religiao sem nem ter ideia de seus preceitos, ou seja fala sem saber o q esta falando. As vezes tbm acontece q muitas vezes alguem critica outra crença nao pq nao aprova ela mas pq acha q a sua religiao esta sendo afetada pela existencia da outra.
    Na verdade o q existe e preconceito, da mesma forma e o q ocorre no racismo, pq acham q negrs sao inferiores. Da mesma forma e a reigiao: pq a sua religiao e melhor q a do outro

  5. Juliana Says:

    Adorei essa discursão, e acredito q apenas o Conhecimento e a Tolerância e a melhor solução, contudo a grande questão é como mudar essa situação!?

  6. Bruninha Says:

    Bouum eu axo que isso devia ser mais resumido pq eu to ttentando fazer um troço de um trabalho sobre isso e não to conseguindo

  7. Larissa Says:

    Eu tbm … Pessoal resumi aí !

  8. Andrea Says:

    Gostaria de saber onde encontro advogados que recebam esta causa..

  9. Marcelo Says:

    Qual causa?
    Que eu saiba a intolerância não é crime previsto em lei. A discriminação sim, mas provar algo neste sentido é sempre uma tarefa meio complicada.

  10. raul carvalhal limeira Says:

    Hoje ,dia 12/12/2010(Domingo),estava fazendo minha caminhada,no trecho que compreende,da praia de Icaraí até Jurujuba. Ao chegar nesta praia de pescadores,me deparei com um casal,que havia colocado num 2 em 1, no mais alto volume música evangélica,com o aparelho colocado em direção da igrja de São Pedro, e como eu estava distraído,fiz (como sempre faço),o sinal da cruz,e os dois começaram a zombarem.Havia ainda um microfone ,que acredito que o mesmo fosse fazer “pregação”.
    Fiquei revoltado,porém nada disse e fui embora!

  11. Custom Essay Paper Says:

    A maioria das guerras de mundo começaram por causa da intolerância religiosa. Como irónico desde que quase todas as religiões preach a paz em vez da guerra.

  12. lumi Says:

    oi

  13. lara Says:

    oie!
    gostaria de saber pq acontece a intolerancia religiosa?

  14. Sakura Sissi Says:

    Da mesma forma que os homossexuais fazem passeatas para sua liberdade amorosa, as pessoas que professam ter sua fé e não quer ver sua fé fundida numa outra que não tem nada a ver com a original deveria fazer passeata também.

    Se os homossexuais quiserem uma religião homo fundindo tudo apesar de gritantes diferenças num ecumenismo louco, problema deles. Eles tem todo direito.

    AGORA, os heterossexuais e defensores das diferenças culturais e religiosas, TAMBÉM tem direito de ter suas diferenças culturais e religiosas, RESPEITADAS.

    As crenças estão intimimamente ligada com as culturas. A antropologia, sociologia e teologia SEMPRE andaram de mãos dadas.

    Esse movimento ateísta é desrespeitoso para com pessoas que vivem uma vida mais voltada para o espírito e o mundo das idéias (transcendentais) do que para pessoas que vivem apenas para a matéria.

    Cada um, com seu cada qual.

    Agora, NINGUÈM, tem o direito de ficar desrespeitando crença de ninguém, por mais primitivo que talvez pareça.

    Para pessoas de uma geração que não estuda, que não conhecem muito a história da cultura, as religiões podem não ter nenhum significado cultural. MAS, TEM SIM. Faz parte inclusive da história da civilização.

    Mas, volto a dizer: Defendemos as religiões CIVILIZADAS, entenda-se religiões civilizadas, aquelas que não atentem contra a vida (tanto física e material) quanto espiritual das pessoas. Como essas que incentivam o suicídio coletivo como no caso de homens bombas que doutrinam crianças desde pequenas para essa vida. Essas religiões atrapalham as outras, daí sim, vale a intervenção do estado.

    RELIGIÃO NÃO DEVE INTERFERIR EM: Assuntos políticos, nem assuntos relacionados a questões públicas como: médicos públicos ou professores.

    Ninguém deve usar sua autoridade como: médico, professor ou seja lá o que for para OBRIGAR uma pessoa a ser atéia, ameaçando a vida dessa se não abandonar sua crença ou não entrar para a crença dessa pessoa.

    Isso é crime espiritual.

    E no mundo espiritual, tal qual no mundo físico, também existem POLICIAIS ESPIRITUAIS, JUÌZES ESPIRITUAIS e apenas um desses nesse plano, poderá causar problemas graves.

    Então,vamos respeitar a liberdade de religião de cada um.

    Da mesma forma que não se deve usar lugares como: Políticas, Escolas ou hospitais do estado-governo para fazer proselitismo religioso, TAMBÉM não se deve usar esses lugares para se divulgar o ateísmo e falar mal da crença alheia.

    Sempre digo uma coisa no caso do Brasil: Religião, política e futebol são coisas que NÃO SE DISCUTEM!!! Cada um tem a sua.

    Ficar usando espaços de estudo, trabalho, para impor certas visões É CRIME. Ainda mais pessoas que tem poder de manipulação.

    Expulsar alunos de sala de aula (mesmo particulares e cursos de idiomas) porque não querem ser ateus, É CRIME. Ainda mais falar mal da religião dos outros.

    Nenhum humano que CAGA e MIJA e PEIDA e que quando morre irá debaixo para debaixo da Terra se deteriorar e ficar em estado de putrefação como todos os mortais, JAMAIS terão direito em esfera alguma de SE METER EM CRENÇAS ALHEIAS.

    O inferno não é um lugar ardente como dizem. É uma condição de isolamento TOTAL para não contaminar os outros.

    Isso independente da condição social da pessoa, cor de pele, formação cultural, sexualidade, ou seja: O ESCAMBAL.

    Por isso é bom começarem a respeitar as crenças dos outros, que LUGAR para falar mal da crença dos outros EXISTE, estamos numa democracia e existe liberdade de expressão.

    SE são ateus, são livres para falar mal da religião que quiserem, desde que juntos com OUTROS ATEUS, num local específico e separado dos teístas.

    Uma pessoa atéia tem que se unir com outros ateus para falar mal de quem quiser, MAS EM SEUS ESPAÇOS.

    JAMAIS, devem usar escolas, cursos de idiomas, cursos de informática, universidades, hospitais, organismos políticos como prefeitura, senado, etc… para falar mal da crença dos outros.

    Se a pessoa tem algo de pessoa contra uma pessoa, não deve usar TODA A CRENÇA da pessoa, por causa de uma pessoa que não simpátiza.

    ISSO É CRIMINOSO é querer generalizar as pessoas por uma questão pessoal de antipatia.

    Se uma pessoa de determinada crença desagradou, não significa que TODAS SEJAM IGUAIS, pois em todas as crenças existem suas ovelhas e seus cabritos, seu trigo e seu joio.

    Mas, também invadir a crença daquela pessoa, para fazer fofoca, ficar apontando todos os pequenos erros da pessoa, só por uma questão pessoal, É CRIME. Inventar mentiras sem provas, usar alguns dons para derrubar uma pessoa que não simpatize é CRIME.

    E isso já entra na esfera espiritual.

    NINGUÉM TEM O DIREITO A SE METER A QUERER MUDAR CRENÇA E CULTURA DE NINGUÉM.

    Se não gosta, que mude de cidade, de país. Se está num país de favor, que tente se adaptar. Imigrantes que tem que ajustar as normas dos países que acolhem e não os povos das nações se adaptarem as regras dos imigrantes. Isso não faz sentido.

    A arrogância desses ateus está irritando.

    Muitos desses ateus usam mal a ciência para se amparar, mas quando vão tratar de ciência, filosofia ou qualquer coisa, GAGUEJAM, não tem argumentos e começam a usar de violência física deixando as pessoas que argumentam em situação de constrangimento.

    PROFESSORES ATEUS NÃO DEVEM SER ACEITOS EM UNIVERSIDADES E NADA DO GOVERNO. TEM QUE PROFESSAR ALGUMA FÉ, SEJA LÁ QUAL FOR. NEM CURSOS DE IDIOMAS, NEM DE INFORMÁTICA E NEM NADA.

    Uma pessoa que não acredite em nada espiritual não pode ser uma pessoa do bem.

    Não estou dizendo que todos os teístas sejam do bem. Não! Existem muitos religiosos monstruosos, concordo com quem diga que a religião PODE SER e muitas vezes é o ÓPIO DO POVO.

    Mas, nenhum ser humano, tem o direito de se intrometer nas crenças alheias e nem querer se vingar porque na crença em questão não aceitam certos dogmas como homossexualismo, por exemplo.

    Se certas religiões não aceitam o homossexualismo, que estes procurem outra crença ou filosofia, podem ser budistas, xintuístas, hinduístas, podem ter a religião que desejaram. Podem ser judeus da Kaballah, podem ser livres para terem a religião que quiser. O mundo espiritual PERMITE a liberdade. Todos espiritualizados sabem disso.

    AGORA, uma pessoa querer se vingar de uma religião, ou pessoas de uma religião porque o dogma da religião não permite fumo, bebidas alcoolicas, sexo antes do casamento ou homossexualismo, NÃO FAZ SENTIDO.

    Se as pessoas estão seguindo essas religiões é porque ESCOLHERAM!!! Acharam que a religião tem a ver com a personalidade delas.

    OU SEJA, o Criador não odeia os ateus, eles odeiam ATEUS que querem BLOQUEAR que pessoas sigam uma vida mais espiritual, mais voltada para coisas transcendentais.

    O direito de viver o transcendental, de se espiritualizar é um direito que o CRIADOR deu para todos.

    Ninguém de carne e osso (nem anjos) tem o direito de bloquear o acesso das pessoas ao mundo espiritual.

  15. Marcelo Torres Says:

    Obrigado pela participação, Ronaldo.

    Na minha opinião a intolerância é filha da ignorância. Não haveria intolerância se não houvesse ignorância, mas ambas as coisas existem e intimamente ligadas. A ignorância tem outros filhos (que materializam em atitudes incomentáveis) os quais devemos tomar cuidado para que não sejam parte de nossa vida.

    Abraços,
    Marcelo

  16. Marcela Says:

    Concordo!!!

  17. Marcelo Says:

    Aí é que está!
    Como mudar a situação? Não fazendo igual! Se eu for diferente do que tenho visto vou ensinar isto para meus filhos que ensinarão para os seus e assim vai…

    Qualquer solução que apareça não vai conseguir “dobrar” a cabeça dos outros. Mas eu posso fazer diferente!

    Abraços,
    Marcelo

  18. Marcelo Torres Says:

    Cada um quer que seus conceitos sejam a verdade. É mais fácil assim porque desta forma eu não preciso me esforçar para aprender outras coisas e nem preciso admitir que eu posso estar errado…