Aparências

aparencias.jpg 

As aparências enganam!
 
Cresci ouvindo esta frase. Mas também cresci ouvindo uma outra frase que invalida a anterior: "A primeira impressão é a que fica!".
 
Então como é que deve ser? É importante valorizar a aparência ou não devemos nos preocupar com isto?
 
Se a primeira impressão é a que ficar não vão adiantar nossos esforços posteriores pois ninguém dará valor. Se as aparências enganam nem devemos dar atenção às primeiras impressões.
 
É só eu ou tem mais alguém aqui que vê a contradição nestas frases?
 
Se alguém também vê é importante criarmos um critério nosso para esta questão, já que o critério "público" não está ajudando muito.
 
Este critério é algo que cada um tem de formular. Eu formulei o meu e o sigo a risca. Não me permito andar fora deste.
 
Vou expor aqui o que eu lembrar desta fórmula pessoal esperando que isto estimule a quem ler.
 
Eu tenho duas opções: Dar atenção para a minha aparência ou ser eu mesmo. Preferi a segunda opção. Nada contra quem prefere a outra opção.
 
Se eu começar a me preocupar com o que os outros pensam de mim eu vou ser sempre um personagem moldado pela vontade dos outros e nunca serei eu mesmo. O que acarreta isto? Pra começar baixa autoestima. Ninguém vai me conhecer exceto eu mesmo e isto é ruim!
 
Já imaginaram ser um personagem diferente para cada pessoa com quem você lida?
 
A pergunta acima é proposital porque existe muita gente que faz isto e acha a coisa mais normal do mundo.
 
Já imaginaram ser você mesmo e não se preocupar se as pessoas gostam ou não? As aparências enganam. Isto é uma verdade, afinal de contas. O que vemos nos outros não pode ser base para determinarmos o caráter delas.
 
O político (não me refiro ao político partidário, embora ele se encaixe com perfeição) é justamente o contrário. Quer ser sempre o amigo de todos e de todas as classes. Por isto nunca é ele mesmo. Ele é sempre o que as pessoas querem que ele seja.
 
Quando sabemos que as pessoas nos conhecem e mesmo assim gostam sentimos um prazer indescritível, como aquele incentivo para fazermos as coisas certas ou uma estranha (?) sensação de importância para o mundo. Isto nos faz sentir melhores, nos faz acreditar na vida e tem o grande poder de nos encentivar à nossa transformação moral.
 
E tudo isto partiu de uma coisa muito pequena que é sermos nós mesmos diante de toda e qualquer situação.
 
E como conseguir isto? Esforços!!! Nunca deixe de se esforçar! Nada vai ser conseguido sem se esforçar. E prepare-se para dificuldades normais neste processo. A mais comum é o extremo medo de ficar sozinho (isto se deve ao fato de que quem faz isto é alguém que tem medo da solidão, por isto quer todo mundo por perto a todo custo, mas isto é papo para outro dia).
 

Comentários estão fechados.