Aparências

 

Aparências

 

A nossa cultura, infelizmente, nos ensina a escolher tudo para nós mediante ao que vemos na aparência. Como se nossos olhos fossem potentes aparelhos de raio-x capazes de verificar o conteúdo íntimo de cada ser no primeiro olhar.

É interessante como colocamos isto na prática.

Só comemos algo que nos agrada aos olhos, primeiramente. Senão, podemos até provar, mas não será com aquele entusiasmo todo. E se o alimento feio é gostoso soltamos a frase: Não parecia, mas é gostoso!

Estes dias estava refletindo sobre isto quando escolhia um DVD numa locadora. Só pego aqueles que me chamam a atenção e quando pego, leio a sinopse para saber se é exatamente o que estou procurando (mesmo sem ter algo em vista quando entrei na locadora). Mas a primeira coisa que me vem é a aparência da capa do DVD. Peguei um filme que não me agradou na aparência da capa (o que me influenciou negativamente na avaliação da sinopse), mas levei assim mesmo confiando em alguns atores. Resultado: Um ótimo filme!!!! Mais uma vez minha avaliação ocular falhou, como em outras inúmeras vezes.

Evoluí minhas reflexões para as aparências humanas. Vi e revi a cena daquela mulher que surpreendeu os jurados com uma voz maravilhosa e com uma aparência péssima.

Comecei a relembrar de quantas vezes julguei as pessoas pela aparência e o quanto errei. Tive nas pessoas de aparência mais simples os melhores amigos e vice-versa (infelizmente).

Obviamente, nesta minha reflexão, vi o quanto as mulheres são observadas e julgadas pela aparência. As mulheres (em geral) tem horror a estrias, celulites e gordura (me lembrou o filme que vi hoje chamado “O Amor é Cego”, o qual recomendo para quem ainda não viu). Mas este horror todo é sem fundamento porque nunca observaram o preço que se paga para não ter estrias, celulites e gordura. Não vêem como é a qualidade de vida das mulheres que evitam estes “defeitos” (coloco entre aspas porque não considero nada disso como defeito). E, agora, falando como homem: Estas mulheres nunca nos perguntaram o que nós realmente gostamos. Mulheres sem nenhuma gordurinha, nenhuma celulite e nenhuma estria servem para serem embalsamadas e colocá-las como estátua na sala de estar de uma casa grande, mas definitivamente não servem para um relacionamento sério e duradouro. Ou seja, servem para uma aventura ou outra (o que nos servirá para contar como vantagem nas rodinhas de amigos exaltando o poder masculino). Mas não servem para ser nossas esposas, porque quando estas mulheres se casam elas se tornam chatas (mais ainda) não só com a própria alimentação mas com a nossa também. E eu lá vou querer controlar quantas calorias eu como durante o meu dia? Mas estas mulheres contam!

Então nós (homens) corremos de mulheres perfeitas. Se for perfeita não serve para que tenhamos um relacionamento que nos leve a um casamento ou algo mais sério. A mesma coisa acontece com homens perfeitos. Ficam com “n” mulheres mas com nenhuma ao mesmo tempo.

Mas há uma avaliação que podemos fazer e que nesta os olhos ficam em segundo plano. É a avaliação do que vem de dentro. Daquilo que realmente sentimos e de como nos sentimos perto da pessoa, que muitas vezes os olhos nos quer distante, mas o coração quer bem perto. Nesta briga entre olhos e coração feliz daquele em que o coração sai vitorioso.

“O amor cobre uma multidão de pecados”, já nos dizia uma passagem evangélica. Também neste sentido pode ser perfeitamente aplicada. O amor que sentimos por alguém passa por cima de todos os defeitos que esta pessoa tenha. Ignoramos tudo, abrimos o peito e nos entregamos de corpo e alma quando amamos. Não importa a beleza física e nada que o exterior possa transmitir.

E é exatamente nisto que devemos nos preocupar ao escolhermos nossas companhias. Esquecemos que o corpo envelhece. Nos enchemos de rugas, os cabelos ficam brancos (quando não caem), etc. Ou seja, nosso corpo fica FEIO. Então por mais bela que seja a mulher com quem nos casarmos ela vai ficar feia com o passar do tempo. Mas se tivermos amor, que se dane a beleza! A pessoa será sempre bela aos nossos olhos (e é isto que importa).

Vamos fechar os olhos de vez em quando para evitarmos os enganos que eles podem nos proporcionar.

Comentários estão fechados.