Gentilezas

gentileza.jpg

Outro dia estava ouvindo um amigo falando de gentilezas e isto me deixou pensativo. Ele fez uma pergunta a todos que o estavam ouvindo mas esta pergunta mexeu comigo e me gerou outras:
– Quantas vezes você disse um simples "obrigado" hoje?
 
Na mesma hora o meu dia passou na frente de meus olhos e pude constatar que não tinha dito esta palavrinha mágica o dia todo. Nada de anormal, poderia até dizer, mas se não fosse o fato de eu ter visto também os momentos onde eu poderia ter dito e preferi me calar.
 
Numa conta rápida eu identifiquei oito momentos onde eu bem que podia ter agradecido por um favor recebido (mesmo que este favor seja parte das obrigações profissionais de alguém) mas não disse. Foi o porteiro que gentilmente abriu a porta para mim, o acessorista do elevador que gentilmente me levou onde eu queria, o garoto que me ajudou a estacionar o carro numa vaga apertada, o gari que esperou que eu passasse para continuar varrendo a rua (levantando uma grande nuvem de poeira), aquela pessoa que não conheço (e nunca vou conhecer) que freou o carro para que eu pudesse entrar na sua frente, o meu vizinho que percebendo que eu estava saindo de meu apartamento não fechou a porta do meu bloco para que eu não tivesse o trabalho de abri-la, o pedestre que esperou que eu saísse da minha garagem, quando na verdade era eu quem deveria esperar… Por aí vai! Tudo isto num mesmo dia!
 
Sabem uma coisa interessante nas gentilezas? É o que elas provocam nos outros. Vou tirar por mim. Quando alguém me agradece por uma coisa mínima que faço me dá ânimo para continuar fazendo. Aí me veio o arrependimento: Eu bem poderia ter agradecido a todas aquelas pessoas e ter contribuído para que elas tivessem um dia melhor.
 
Mas não fiz. Então bola pra frente. Me propus a mudar e fazer diferente. Confesso que me senti bem agradecendo a coisas básicas e observando a reação das pessoas.
 
Existem outras atitudes gentis que não custam nada: "Com licença", "me desculpe", "por favor", etc. Parece que estou lembrando dos tempos de criança quando aprendemos as "palavrinhas mágicas". Esta é uma comparação muito acertada. Palavras mágicas abrem portas. Uma boa educação faz exatamente a mesma coisa.
 
Experimentem também. Um bom começo é o "obrigado". Agradeça a tudo e a todos, mesmo que o que lhe foi feito era nada mais que a obrigação de quem fazia.
 

Comentários estão fechados.