Opinião Própria

opinioes_1.jpg

 

Você tem opinião própria? Ou sempre depende da "sugestão" dos outros?

Podemos dizer que são dois extremos: Alguém com opinião própria de um lado e alguém que se deixa levar pela opinião dos outros. Mas não tem de ser assim tão radical. Podemos adotar um posicionamento interessante sem ofender ninguém nem a nós mesmos.

O fato é que sempre iremos ter opiniões alheias para tudo o que estivermos passando. Não gosta disso? É simples: Pegue suas coisas e vá morar numa caverna sozinho. É só assim que não vai ouvir opiniões dos outros sobre algo que estivermos passando.

Já que não é possível impedir que as pessoas opinem sobre nossa vida, nos cabe saber viver (e conviver) com isto.

Existem sempre dois tipos de pessoas que opinam na vida dos outros:
1. Opiniões em forma de sugestões. São as mais interessantes pois nos dá liberdade para recusar a opinião sem caracterizar nada de ruim.
2. Opiniões em forma de exigências. Estas são as mais complicadas. A pessoa não opina, apenas exige que vivamos segundo o seu ponto de vista (ignorando o que queremos e o que sentimos). Quer assumir nossa vida como se fosse dela.

É sobre o segundo tipo de pessoa que quero me ater neste texto.

Normalmente são pessoas que nos querem muito bem. É bem comum nossos pais estarem neste papel. Sendo pessoas queridas é óbvio que não queremos ofender, então cada movimento nosso deve ser bem pensado e, ao mesmo tempo, rápido para não dar espaço para novas exigências.

Primeiramente o trabalho tem de ser feito conosco mesmos. Temos de admitir que a nossa vida é nossa e de mais ninguém. Ninguém vai arcar com as consequências de nossos atos senão nós mesmos. Então o mérito ou demérito de nossas ações pertence unicamente a nós mesmos, independente se estamos agindo pressionados por outra pessoa. Nós somos os responsáveis pelas nossas atitudes independente de qualquer coisa.

Não importa o quão importante é a pessoa que nos exige mudanças, quem decide mesmo e quem faz a mudança somos nós e mais ninguém.

E quando acharem um absurdo não termos agido segundo as "sugestões" dadas, basta dizer (com calma e sem qualquer sinal de alteração) que sempre seremos nós a decidir quando e como iremos agir. É claro que existem milhares de formas para se dizer isto. Encontre a que mais se adequa a você e a situação que está vivendo. Se tudo isto falhar, silencie e aja conforme a sua decisão.

É importante lembrar que errar é nosso direito. Então não espere que todas as decisões que tomar sejam acertadas porque com certeza não iremos acertar tudo.

Errou? Peça desculpas, faça o possível para consertar (se for possível) e tente não fazer novamente. Mas o importante é que foi uma decisão sua!

As pessoas que opinam na nossa vida nem sempre (quase sempre) não sabem de tudo, ou seja, não possuem todos os elementos suficientes para produzir uma boa opinião, então irão opinar com o material que possuem. E não é porque eles não possuem todas as informações que iremos ter de forncecê-las, todos temos nossas reservas.

Ter a nossa própria opinião é direito nosso e ninguém pode nos tirar isto (seja lá quem for). Faça valer o seu direito, mas não faça disto uma guerra pessoal. Não é necessário brigar com ninguém pelo direito que temos. É direito e ninguém consegue tirar.

É importante mencionar também as consequências de não ter opinião própria e estar sempre sujeito às "sugestões" alheias. Alguém que age assim vai, fatalmente, perder o melhor da vida que é experimentar. A vida é feita de experimentações. Experimentações estas que resultam em erros e acertos. Em qualquer resultado sempre irá sobrar a essência da vida: O aprendizado! Mas esta essência é o bônus para quem experimenta.

Viva! Experimente! Acertar ou errar não importa. Importa é agir por conta própria e consciente.
 

Comentários estão fechados.