Medo!

 

 

Quem nunca teve medo levante a mão!

Se falarmos isto diante de uma platéia de um milhão de pessoas com certeza ninguém levantará a mão. Todos nós tivemos ou temos algum medo. Seja ele de qualquer ordem que for.

Ter medo não é ruim. Nos coloca em estado de alerta e nos previne de uma série de perigos. O ruim é quando nos deixamos dominar pelo medo. Aí sim criamos, ao invés de prevenção, limites para nossa vida.

Lendo a revista “Seleções Readers & Digest” do mês de maio de 2009 deparei com uma matéria sobre o medo. Nesta matéria há seis lições para dominar o medo, as quais transcrevo (resumidamente) aqui.

1ª Lição: Divida o medo com os outros.
Não há nada mais verdadeiro do que o antigo ditado que diz: “Dividir os problemas é reduzi-los à metade”. Se eu só pudesse recomendar uma prática para manter o equilíbrio, recomendaria conversar com uma pessoa de confiança. Comece dividindo um medo pequeno. Telefone, escreva uma carta, envie um e-mail ou converse pessoalmente com alguém em quem confie.

2ª Lição: Prefira estar errado.
Não gostamos de estar errados. Assim, por mais estranho que pareça, quando achamos que não vamos conseguir alguma coisa, sabotamos nossos esforço inconscientemente, só para provar que estamos certos. Aumente a autoestima abrindo-se para a possibilidade de estar errado a respeito do que não consegue fazer.

Na vida, sempre que alguém sai de uma zona de conforto para enfrentar um novo desafio, o medo o aguarda. Quem diz não ter medo está mentindo ou tem o cérebro lesado.

3ª Lição: Os pensamentos negativos são normais.
É normal ter pensamentos negativos quando nos preparamos para sair de uma zona de conforto. Admita esses pensamentos; deixe que estejam presentes sem julgá-los nem aceitá-los como verdade e continue a caminhar rumo ao seu objetivo.

Não é só normal sentir medo ao enfrentar um novo desafio como também é normal ter pensamentos negativos. Tentar baní-los só faz os pensamentos voltarem mais ameaçadores. Em vez disso, deixe que fiquem por ali, sem reagir a eles.

4ª Lição: Controle-se para controlar a situação.
A única coisa no mundo sobre a qual temos controle total é a nossa própria reação. Mas, em qualquer situação, quando estamos ocupados tentando tomar conta das coisas ou dos outros, perdemos o controle de nós mesmos. Para influenciar uma situação, concentre-se em controlar sua própria reação.

Um modo comum de lidar erradamente com o medo é tentar controlar aquilo sobre o que não temos controle, como o mercado de ações, os outros motoristas, os amigos, a família ou os problemas no trabalho. Lembre-se: Não é possível controlar os outros. Tome conta das suas reações e terá uma probabilidade muito maior de influenciar o andamento de uma dada situação.

5ª Lição: Surfe em seu desconforto.
É comum fazermos um esforço enorme para evitar a sensação de desconforto associada a algo novo.

Para manter o controle em qualquer situação, trate o medo como uma sucessão de ondas e aprenda a surfá-las.

Muita gente acha que esse processo é difícil porque considera o medo algo prejudicial, em vez de vê-lo como uma saudável reação protetora.

O resultado? A maioria reage abandonando o sonho de encontrar um emprego melhor, de iniciar ou terminar um relacionamento. Para eles, o problema não é o medo, mas a maneira como reagem a ele.

6ª Lição: Cometa erros.
Erros não são ruins. Mas o medo de errar vai aprisioná-lo em sua zona de conforto. Em vez de sentir um medo terrível de cometer erros, tenha medo de não cometê-los, porque sem erros não há crescimento.

Assim, desafio você a seguir em frente: Encontre sua zona de conforto e saia dela!

 

Comentários estão fechados.