Sofrimento

 

Sofrimento

 

O sofrimento encaramos como necessário para depuração do ser humano. Estudamos que é somente com o sofrimento que ele se depura, se educa e se volta para si mesmo com a intenção de corrigir-se.

Até aqui tudo bem. Concordo com tudo isto pelo simples fato de só sabemos o quanto dói quando a dor está em nós. A dor dos outros não nos comove como deveria.

Mas não precisamos inverter os valores tanto assim (um pouquinho só, vá lá!).

O sofrimento somente acontece quando não há outro recurso. Enquanto houver algum recurso pacífico ele será utilizado.

A pergunta que eu ouvi (e que deixa muita gente intrigada) é:
– Por que alguém que faz tanta coisa ruim não está sofrendo? Por que não começa logo a pagar a longa dívida que tem?

E a resposta é:
– Se este alguém não está sofrendo é porque ainda há uma chance de reconhecer (pelo menos) o erro sem que seja necessária a presença do sofrimento. Ou seja, ainda há esperanças!

O nosso sentimento deve ser diferente deste da pessoa que questiona. Deveria ser uma lamentação pelo fato da outra não reconhecer-se necessitada de reforma.

Vamos oferecer a outra face? rs

A face ofendida é a nossa faceta orgulhosa, então vamos oferecer a outra face que é a face humilde. Humilde suficiente para aceitar a ofensa como realidade e como um conselho para o nosso próprio bem (não importando de onde e nem como veio). Lembrando que sempre que algo nos fere só fere porque achou em nós um terreno propício…

Não há interesse Divino em nos ver sofrendo. Isto só acontece pela nossa própria responsabilidade e por nossa própria vontade.

Se há sofrimento com revolta é sinal que ainda não reconhecemos o nosso próprio erro. Por outro lado se não há a revolta é sinal que já reconhecemos o erro numa outra etapa e estamos apenas passando pelas situações que criamos para as outras pessoas (neste caso a coisa é mais resignada).

Estamos aqui para sermos felizes e não para sofrer. O sofrimento é sempre opção.

Comentários estão fechados.