Dignidade

 

Dinheiro

 

É uma palavra que eu tenho visto sendo muito pouco compreendida e tenho visto menos ainda sendo alvo de esforços pessoais.

Ainda que esteja com meu mundo desmoronado eu posso erguer tudo com facilidade se mantiver minha dignidade (mais ou menos dentro da mesma linha de meu último post).

Tenho de me manter em alta para que não desanime apesar dos pesares.

Teve uma vez que eu estava desempregado, havia perdido todos os meus contratos (trabalho por conta própria). Não tinha de onde tirar o meu sustento. Obviamente fiquei apreensivo, mas confiante (não sei em que, mas confiante que algo bom ia acontecer). Neste momento um grande amigo me falou algo que jamais esquecerei: “Que te falte dinheiro, mas que nunca te falte dignidade”.

Nunca devemos nos vender por causa da falta de dinheiro. A venda de si próprio significa negar aquilo que somos e partir para algo deplorável apenas porque estamos sem dinheiro. E é quando somos tentados a isto…

Quantas pessoas justificam um crime pela falta de dinheiro. Já ouvi inúmeras vezes nos noticiários o criminoso se justificando:
– Roubei porque ninguém me dá emprego!

Por causa de dinheiro a pessoa compromete o resto da sua vida… Valeu a pena?

É claro que isto é uma situação extrema, analisar pelos extremos é sempre fácil. Quando estamos vivendo a situação é sempre mais complicado. Pois não seremos extremos mas iremos (pelo menos tentar) justificar os nossos erros.

No caso da falta de dinheiro existe o bom e velho orgulho que nos impede de aceitar “qualquer coisa” (como se trabalhar não fosse bom). O que acontece é que as pessoas batem no peito dizendo “eu sou formado e não posso aceitar este trabalho” quando na verdade “este trabalho” seria o necessário para que sua queda não fosse tão acentuada. Por causa do orgulho as pessoas se vendem mudando seus valores para pior. Vendem sua dignidade…

Dignidade não depende de nada material, só depende da nossa vontade de sermos melhores. Tratemos o dinheiro como conseqüência, enquanto ele for conseqüência estaremos no bom caminho. Quando ele passar a ser a causa podem acreditar que é motivo de preocupação.

Comentários estão fechados.