O Lado Bom

 

Sorria

 

Eu sempre procuro ver o lado bom das coisas. Não acredito que estejamos aqui para sofrer, mas, pelo contrário. Estamos aqui para sermos felizes. E o Universo inteiro conspira para a nossa felicidade. O problema é que muitas vezes não enxergamos isto (e as vezes até fechamos propositadamente os nossos olhos).

De tanto falar desta forma um casal amigo me disse que sempre lembra de mim quando vê alguma coisa ruim, pois, em tudo o que é ruim eu sempre vejo alguma coisa boa. É o meu lado otimista falando alto. E eu faço desta visão deste casal amigo um ideal para mim. Nem sempre sou assim… Mas ao falar racionalmente sou assim mesmo.

Acredito que o Universo inteiro esteja funcionando corretamente. Tudo está encadeado de uma forma assustadora (devido a tanta organização).

Ver o lado bom de tudo eu encaro como uma necessidade, pois o contrário nos faz ficar depressivos e extremamente desagradáveis.

Não é ignorar as coisas ruins que acontecem ao nosso lado. Mas ver nestas coisas ruins alguma boa finalidade. As vezes as pessoas me perguntam:
– Vi uma notícia de um assassinato na televisão. Qual é o lado bom disto?

É óbvio que isto é feito em tom de desafio, né? Não gosto deste tipo de desafio, porque se eu vencer o desafio a pessoa que o propôs é tida como perdedora e isto a incentivará (na maioria das vezes) a procurar outro desafio, até encontrar um que eu perca. Se eu perder o desafio a pessoa vai achar que eu sou maluco ou alienado por viver uma realidade que ela não concorda. Ou seja, neste tipo de desafio não importa o resultado eu vou sempre perder! rsrs… Mas para esta pergunta eu respondo algo tradicional:
– O lado bom é que nos serve de exemplo para que nas mesmas condições e situações não façamos a mesma coisa!

Para quem é adepto ao Espiritismo (como eu) a resposta costuma ser um pouco mais longa, pois costumo embutir a filosofia espírita.

Não precisamos provar para quem quer que seja que tudo tem o seu lado bom. Temos de ter certeza disto. E isto é individual. Eu tenho as minhas convicções e sei que isto é possível. A partir do momento em que acreditarmos que em tudo existe algo de bom passamos a nos preocupar em identificar isto. E este processo é extremamente benéfico para a nossa saúde psíquica.

Não se preocupe se não conseguir achar algo de bom em algumas coisas complicadas (tem coisas que são realmente difíceis de engolir), mas tudo é uma questão de treino. E a verdadeira intenção é fazer com que não tenhamos a atitude de condenar as coisas de forma automática. Pelo contrário, que tenhamos a mentalidade de procurar os porquês e a partir disto tomar uma opinião ajuizada sobre o assunto.

E quando tudo desmoronar, ou seja, quando realmente não encontrarmos nada de bom é hora de separarmos as pessoas dos acontecimentos. Os acontecimentos podem ser condenáveis, mas as pessoas não! Repudie o acontecimento e ame as pessoas…

 
aprendi também, com alguém muito especial, que o amor é uma arma secreta, rsrs…

 

Comentários estão fechados.