O Mundo Gira

 

Por onde o seu mundo gira? Com o que tem se preocupado ultimamente? Onde estão suas atenções?

Muita gente tenta escapar desta pergunta dizendo que depende do que estão fazendo. Até justificam dizendo que são sempre focados em tudo que pegam pra fazer e que quando estão no trabalho o mundo externo deixa de existir e o mesmo acontece em todos os locais. Só tenho uma palavra para isto: ERRADO! rsrs (acho que nunca falei algo com tanta convicção).

Uma pessoa focada desvia a maior parte de sua atenção para o que está fazendo, mas nunca se desliga de tudo. Quem desliga de tudo e fica apenas no que estão fazendo são os portadores de alzeimer. Estes sim podem dizer (e eu vou acreditar) que conseguem desligar de tudo para focar apenas numa única coisa. De resto ninguém é assim.

Detalhe: Estou me referindo aqui a pessoas adultas, ok? Criança a história é outra bem diferente.

Minha vida é composta de várias facetas e todas interligadas. Não sou anormal (pelo menos acho que não) e acho que todo mundo é assim. Procuro não deixar que uma de minhas facetas interfira na outra, quando isto acontece vence aquela com maior prioridade no momento.

Querem exemplos? Seu chefe chega e diz:
– Hoje terá de ficar até mais tarde. Vai ter de trabalhar até as 23 horas.

Se você é focado no trabalho e o mundo externo não existe você dirá:
– Ok. Eu fico.

Mas normalmente antes de responder a isto pensamos em casa, nos compromissos sociais, no que iríamos fazer depois de sair do trabalho (no horário normal), em como iremos para casa, qual o caminho que iremos fazer num horário destes. Etc. Pronto. Estou ligado a tudo, não me desliguei de nada.

Outro exemplo: Estamos trabalhando e ao checar os e-mails deparamos com um spam mas de um produto que nos chama atenção. Pronto. Desligamos do trabalho e começamos a imaginar este produto na nossa sala de estar, ou cozinha, ou seja lá onde for.

Mesmo que este desligamento seja super rápido, mas ele acontece muitas e muitas vezes por dia. As vezes é tão automático que nem percebemos. Aí dizemos que não desligamos em momento algum.

Ok. Mas meu objetivo aqui não é provar isto pra ninguém (até pareceu isto, né? rsrs).

Eu considero uma qualidade manter-se focado naquilo que está sendo feito. As chances de sair bem feito (seja lá o que for) é muito maior. Ao passo que desligar-se de outras situações também significa cortar contatos, deixar no ar muita coisa.

Tive um grande exemplo na semana passada. Passei a admirar uma pessoa de onde estou prestando serviço justamente por isto. Nada fica parado na mão desta pessoa. Mandou um e-mail, ela responde na hora. Pediu alguma coisa que só depende dela (e é rápido para resolver), resolve na hora.

Por algumas vezes eu cheguei na mesa dela solicitando alguma coisa. Uma pessoa qualquer (eu, por exemplo) diria: Vou resolver e te retorno assim que possível. Mas ela não. Parou, com duas ligações resolveu tudo. Não gastou mais do que cinco minutos.

Está focada no seu trabalho, mas jamais deixa de estar atenta no mundo externo. Jamais se deixa levar pelo que está fazendo no momento, apenas não deixa as coisas pararem por sua causa.

Quem nunca deixou de receber uma resposta porque a outra pessoa estava “ocupada” demais para responder? Ou quem nunca deixou de responder algo simples porque estávamos “ocupados” demais para responder? Pois é… Isto é errado!

Eu, particularmente, considero a desatenção aos outros uma falha grave. É claro que outras pessoas não pensam assim (cada um com sua opinião). As vezes um simples “oi” esconde um problema que alguém está passando e que temos condições de ajudar. Mas não podemos responder, pois estamos ocupados demais… (e muitas veze nem tão ocupados estamos assim, é preguiça mesmo e jamais iremos admitir isto).

O meu mundo está, impreterivelmente, ligado ao mundo dos outros e se eu tenho o hábito de desconsiderar isto pode ser que amanhã o cenário seja diferente, e aí ficaremos sem apoio em momentos cruciais de nossa vida. Podemos facilmente confessar que em determinados momentos nos sentimos até sem merecimento pela ajuda que recebemos porque não fizemos quase nada. Mas acreditem, a contabilidade da vida não falha… Saldos devedores significam sofrimento.

O fato é que o nosso relacionamento interpessoal é o mais importante que temos aqui. Se não dermos a devida atenção fatalmente iremos nos reconhecer sozinhos cedo ou tarde.

Eu descobri que deixar os olhos abertos para os outros mundos não me custa nada e ainda por cima me faz ser uma pessoa mais feliz e mais querida por todos com quem tenho contato. Experimente pra ver! Satisfação garantida ou… ou… sei lá!!! rsrs

Viva em seu mundo, mas não despreze o mundo dos outros. Dê atenção. Sorria. Cultive o que há de melhor entre estes mundos (a amizade).

Comentários estão fechados.