Gente Simples

 

Gente Simples

 

É curioso como eu sempre tive um ótimo relacionamento com pessoas mais simples. Em todo lugar que vou logo faço amizade com pessoas que trabalham em profissões mais simples.

Eu realmente admiro estas pessoas pela simplicidade que tem no olhar. É claro que não posso dizer que todas as pessoas são assim. Pessoas de má índole existem em tudo quanto é lugar. Mas as pessoas simples me cativam fácil.

Normalmente faço questão de saber o nome e chamá-las pelo nome.

Vou fazer uma pequena homenagem a algumas destas pessoas aqui. Vou trocar os nomes por uma questão de ética e de segurança.

Conheci a Dona Arlinda numa das empresas que trabalhei. Um doce de pessoa. Sempre risonha, brincalhona apesar das dificuldades que passa. Ela já tem uma idade um pouco avançada. Nunca perguntei a idade dela, mas já tem filhos adultos. Ela é faxineira e diarista nas horas vagas. É uma pessoa que eu admiro.

Houve um tempo que estava fazendo um trabalho numa empresa fora de Belo Horizonte. Eu rodava 200 km por dia. Com isto eu gastava um tanque de gasolina a cada dois dias. Sempre abasteci num mesmo posto de combustível. Obviamente conheci todos os frentistas de lá. Hoje a maioria não se lembra de mim. Exceto um. Este é o Francisco. Este trabalho que me obrigava a visitar o posto de combustível a cada dois dias durou cerca de quatro meses. Depois que encerrou o trabalho eu troquei de carro. Peguei um carro mais econômico. Passei a visitar o posto uma vez por semana. Com isto a maioria dos frentistas esqueceu de mim. Exceto o Francisco que sempre conversou comigo como sempre. Sempre conversamos quando encontramos. Me lembro uma vez que estava num super mercado (disfarçado de Clark Kent) quando alguém me chama pelo nome. Quando me viro vejo o Francisco com sua esposa. Cumprimentamos, conversamos algumas besteiras e saímos. Estava junto com outro amigo que me perguntou quem era. Eu disse que era um amigo frentista no posto de combustível onde abasteço o carro. Percebi a cara de desdém deste meu amigo (atitude desprezível). Ano passado fiquei (o ano inteiro) sem carro. Ou seja, não fui ao posto de combustível em momento algum. Desde o mês de março deste ano estou com carro novamente. Quando voltei ao posto achei que ele nem ia lembrar. Ledo engano. Cumprimentou, reclamou que tinha sumido, etc…

Estes dois resumem bem o que eu quero com todo este texto.

Eu desprezo (com todas as minhas forças) as pessoas que julgam os outros pela aparência. A forma de vestir, o jeito de falar, o jeito de se expressar e a profissão que exercem não dizem nada sobre o caráter. Na minha opinião prefiro estar rodeado de pessoas de bom caráter (sem me importar com as aparências) do que estar ao lado de pessoas bonitinhas mas ordinárias.

A minha admiração por estas pessoas é muito pela ausência de “necessidades” fúteis que temos. O jeito simples de viver gera uma qualidade de vida invejável. A pessoa vive com pouco e consegue!!! Isto não quer dizer que eles nunca reclamem da vida, reclamam sim. Mas as reclamações são poucas se comparadas às nossas. As pessoas de vida mais simples são as pessoas mais honestas de nossa sociedade (os comerciantes podem confirmar esta minha afirmação com extrema facilidade). São transparentes pois quando não gostam de alguma coisa dizem, xingam, brigam. Ao contrário de muitos que quando não gostam de algo que fazemos (ou dizemos) se escondem numa máscara e agem “nos bastidores da vida” para nos prejudicar.

Realmente admiro as pessoas simples e sempre faço questão de conviver com elas (talvez na tentativa de também ser simples no meu jeito de viver).

 

Comentários estão fechados.