Ápice da Vida

apice

 

Já ouviram falar de ápice? É aquele ponto que atingimos o grau mais alto que podemos e daí pra frente é só descida.

Na vida temos vários ápices, só que são todos (digamos) opcionais.

É bem comum adotarmos o ditado “não se mexe em time que está ganhando”, mas não temos a capacidade de avaliar se realmente estamos ganhando quando na verdade apenas estamos numa posição cômoda esperando que nada aconteça para nos tirar dela. Quando estamos na subida da vida é sinal que estamos conquistando, estamos desbravando e atingindo terrenos mais altos. E quando estamos descendo é sinal que deixamos de conquistar e estamos indo para locais mais complicados (embora conhecidos).

Na vida sempre que buscamos nossa melhoria estamos subindo. Podemos deixar de procurar esta melhoria durante um tempo, para tomar fôlego, e continuar mais tarde. Mas se pararmos tempo demais as consequências logo vem.

Durante a nossa subida vamos temos inúmeras oportunidades de nos agarrar no próximo degrau, no próximo patamar e, a partir daí, nos esforçarmos para subir um pouco mais. Se recusamos estas oportunidades (o que é normal acontecer) a nossa vida entra em declínio. Não dá para atingir um degrau superior sem pisar nos outros que estão abaixo dele. Por conta desta nossa resistência, nossa vida toma um rumo de descida. Todo corpo, quando desce, tende a aumentar sua velocidade de descida a medida que desce. Com a vida é a mesma coisa. A imersão para terrenos mais baixos pode ser feita de forma bem rápida e a retomada do caminho é sempre árdua porque teremos de vencer a nós mesmos, na força natural que nos impulsiona para baixo.

É possível, claro, reverter uma situação de descida, mas o esforço é bem grande. E os quadros, a nossa visão da vida, as pessoas que antes nos cercavam (entre outras coisas) mudaram. Tudo mudou. Ou seja, nada ficou esperando o nosso retorno da descida voluntária que tivemos.

Se descemos, temos de voltar a subir, se estamos subindo temos de cuidar para não descer.

Atingir o ápice é a fase perigosa. Não podemos ter o ápice. Não podemos ter aquele ponto em que o único caminho possível é para baixo. Crescer sempre!

Comentários estão fechados.