Propostas

Vencer 
Todo fim de ano nos propomos a uma série de mudanças positivas em nossa vida.
 
Muito provavelmente estas propostas nasceram do Espírito Natalino. Desejamos para nós as felicitações que fizemos aos outros. Como sabemos que as coisas não virão de graça, nos propomos a nos movimentar.
 
É uma pena que a maioria destas propostas acabam no esquecimento em menos de uma semana após serem formuladas.
 
Mas há uma razão do motivo de nossas propostas não durarem: São difíceis de serem mantidas. Eu diria que algumas são impossíveis, mas mesmo assim tentamos!
 
Desta vez eu não vou me propor mudanças que poderiam facilmente serem consideradas como milagres. Vou fazer o contrário. Vou me propor mudanças que eu consigo fazer. Nada de tentar algo radical ou mesmo difícil (a custa de sacrifícios).
 
Minhas propostas:
  • Vou comer menos. Não vou deixar de comer nada daquilo que gosto, mas vou comer em menos quantidade. O quanto menos? Não sei, só sei que será menos. Que seja 50 gramas menos, mas já é menos.
  • Vou falar menos da vida alheia. Vou continuar falando, mas vou me propor a falar menos. O quanto menos? Não sei, só sei que será menos. Se eu evitar de falar de uma pessoa já estarei falando menos.
  • Vou caminhar mais. Vou continuar indo trabalhar de carro (mesmo quando não for preciso), mas vou me propor andar mais. Não sei o quanto irei caminhar, mas vou.
  • Vou gastar menos dinheiro com coisas supérfluas (coisas que eu considero supérfluas para minha vida). Com certeza vou continuar comprando coisas inúteis e/ou desnecessárias, mas vou economizar. Um centavo que eu economizar é um centavo a mais a minha disposição para coisas importantes.
 
A lista é longa (e ela existe). O importante nisto tudo é que devemos colocar coisas que damos conta de fazer com um mínimo de esforço (nada além do mínimo). Não podemos nos iludir achando que vamos nos transformar da noite para o dia. Eu acho graça daquelas propostas que exigem um grande esforço. Estas propostas nunca duram mais do que uma semana. Eu não acredito em mudanças radicais em curto espaço de tempo. A mudança que prevalece é aquela feita aos pouquinhos.
 
Não é necessário fazermos grandes esforços. É importante que façamos pequenos e insignificantes esforços de forma contínua. Um pequeno (e insignificante) esforço que fazemos hoje, com pouco tempo ele se torna hábito. Tornando hábito é hora de nos esforçarmos novamente em outra questão (esforço pequeno e insignificante, sempre!). Ao final de algum tempo (não importa quanto tempo) veremos que modificamos muito e de uma forma sólida.
 
É o momento de iniciarmos! Vamos aproveitar o início de ano para nos propor mudanças pequenas e insignificantes, mas (principalmente) que damos conta de fazer.
 
Um feliz ano novo para todos e boas propostas!
 

Comentários estão fechados.