Limites

limites.jpg

Você conhece todos os seus limites?
 
Testar nossos limites é coisa que fazemos desde que nascemos. O ser humano vive fazendo isto o tempo todo. Alguns arriscam a vida tentando, outros nem tanto.
 
A ânsia do conhecer-nos a nós mesmos é grande e vivemos testando até onde aguentamos.
 
Você se conhece a ponto de saber qual é o seu limite de sofrimentos? Está achando isto meio mórbido? Mas pare um pouco para pensar sobre isto. Sofrimento engloba tudo. Sabe o seu limite para fome? Já sentiu fome o suficiente para dizer que chegou no seu limite? E sede? Já precisou tanto de tomar água que sentiu que não fosse aguentar mais? E o sono? Qual o maior tempo que já ficou acordado?
 
Conhecer o seu limite, dependendo da situação, pode ser o que vai lhe deixar vivo. É, muitas vezes, a decisão do ir ou não ir. É a informação que precisamos para tomar atitudes salutares.
 
Dizemos que nós temos de ir no fundo do poço para voltar. E eu digo que não é legal esperar chegar no fundo do poço, pode ser que a chegada ao fundo do poço seja por demais dolorosa. É fato que nós só efetivamente sofreremos quando não estivermos no nosso limite, mas em termos de sofrimento é ideal que não esperemos o extremo.
 
Conhecer os limites não quer dizer que temos de viver no limite ou de atingir o limite. Conhecer o limite significa mapeá-lo ou delineá-lo em nossa vida.
 
E é exatamente isto que eu proponho aqui: O delineamento destes limites.
 
Um limite fácil de pensar porém difícil de colocar na prática é a bebida alcóolica. Ouço muita gente dizendo que quando começa a beber não consegue parar. Mas e o limite? Onde está o autocontrole? Limite-se a beber uma certa quantidade e respeite a quantidade que você mesmo estipulou. Se você não é capaz de cumprir uma regra que você mesmo estipulou é sinal de problemas. Por causa disto muita gente prefere não pensar nisto para não ter que colocar algum limite e assim não precisar se controlar.
 
Mas não podemos sofrer para mudar (mudanças feitas com sofrimentos estão fadadas ao fracasso), então pensar nos limites já é um grande passo.
 
Qual o seu limite? Já pensou nisto?
 

Comentários estão fechados.